PUBLICIDADE

PE: Bacharel em direito é estuprada em clínica especializada em saúde mental

Suspeito é um segurança que trabalhava na unidade; ele é considerado foragido

19 jun 2024 - 15h35
Compartilhar
Exibir comentários
Segurança estuprou vítima em clínica de saúde mental
Segurança estuprou vítima em clínica de saúde mental
Foto: Reprodução/Jornal do Commercio

Uma bacharel em direito, de 30 anos, foi estuprada em uma clínica especializada em saúde mental, em Camaragibe, no Grande Recife. O suspeito é um segurança da unidade, que foi filmado praticando o crime, e é considerado foragido. As informações são do Jornal do Commercio. 

O caso ocorreu durante a madrugada de uma sexta-feira de novembro de 2023, na Clínica Hospitalar Reluzir, localizada em Aldeia. A vítima estava internada há quatro dias em tratamento para dependência de drogas e da depressão. O vídeo exibido pelo site, tem quase dois minutos. A vítima está deitada em uma maca, na ala hospitalar, quando o suspeito se aproxima. Ele passa a mão várias vezes no corpo dela e depois sai como se nada tivesse acontecido. 

Embora estivesse acordado, a jovem ficou sem reação, conforme informou ao JC a advogada da família, Maria Eduarda Albuquerque. “Havia tomado remédios. Ela me contou que só pensava quando aquilo iria acabar. Quando o segurança saiu, ela só chorava e gritava. Foi um trauma muito grande". 

Ainda segundo a defesa, a bacharel passou o dia chorando, pedindo para que ligassem para  sua mãe, no entanto, isso só foi feito pela equipe da unidade às 20h30. 

“A equipe da clínica Reluzir não disse do que se tratava. A família só tomou conhecimento no sábado, quando chegou lá. Era para eles terem chamado a polícia. Demorou muito, o que acabou livrando o autor do flagrante. Ele, inclusive, esse tempo todo está em local desconhecido, nunca foi encontrado pela polícia para ser ouvido. Houve falhas da clínica", apontou. 

O caso foi investigado e concluído neste mês. O homem foi indiciado por estupro de vulnerável. A Polícia também indiciou um técnico em enfermagem, por omissão de socorro, já que ele teria visto o crime e não o interrompeu. 

Em nota ao Terra, a Polícia Civil informou que o inquérito policial foi encaminhado ao Ministério Público de Pernambuco. 

A vítima mudou de clínica após o episódio e teve recaída. Até a mãe da jovem precisou de tratamento, devido ao trauma. “Imagine a situação: você deposita a confiança para resolver um problema, e acaba criando outro", relatou a advogada, que ressalta que a mulher estuprada tem medo de sair na rua e encontrar com o abusador. 

Lado da clínica

Ao JC, a Clínica Reluzir lamentou o ocorrido e afirmou que se coloca à disposição da Polícia Civil de Pernambuco e órgãos judiciais, para que o fato seja devidamente solucionado.

Conforme o comunicado, a unidade disse que desde o conhecimento do caso, “não só deu todo apoio à vítima, como à família e à polícia para investigar o caso". Além disso, alegou que foi noticiada do caso apenas na sexta-feira, pela manhã, em uma consulta de rotina em que a paciente contou o ocorrido. 

“Logo após, ainda na sexta-feira, o hospital imediatamente checou as gravações das câmeras e, ao verificar a situação, no mesmo dia realizou o registro do ocorrido juntamente com a Delegacia de Camaragibe".

O hospital afirmou ainda que falou com os familiares da vítima no mesmo dia, e que o homem trabalhava há apenas dois meses no local. “Exercia sua função na jornada 12x36 e havia saído do local às 7h. Assim, ainda na própria sexta-feira, o hospital desligou o autor, fornecendo às autoridades policiais todos os endereços e telefones úteis", disse em nota. 

Em outro trecho, a unidade reforçou que "lamenta profundamente o ocorrido e se coloca à disposição da Polícia Civil de Pernambuco e órgãos judiciais, para que o fato seja devidamente solucionado, com o rigor e sigilo que o caso exige".

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Seu Terra












Publicidade