Velhice LGBT: "Nem todo velho é o tiozão da lancha"

Chegar à velhice pode ser solitário para pessoas da comunidade LGBTQIA+. Luis Baron, homem cisgênero e gay, de 62 anos, diz que existem questões bastante complexas que ele descobriu mais velho. "Cadê as bicha velha, as sapatonas, as trans?", pergunta Baron. Assista à reportagem de Terra NÓS.

Fonte: ParadaSP Fonte da ParadaSP
Publicidade

Vídeos relacionados

Recomendado para você

Publicidade