PUBLICIDADE

Jovem é presa por injúria racial após discussão em supermercado no RJ; veja o vídeo

Discussão teria acontecido após ela ofender um jornalista; ela também usou o termo "negrada" pra se referir às pessoas que a criticaram

20 fev 2024 - 13h37
(atualizado às 14h03)
Compartilhar
Exibir comentários
Mulher é presa por injúria racial após briga com jornalista em supermercado no RJ: 'Negrada':

Uma mulher de 20 anos foi presa pelo crime de injúria racial após proferir termos racistas, como "negrada", durante uma dicussão em um supermercado de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, no sábado, 17. 

A Polícia Militar informou ao Terra que uma equipe do 20º BPM (Mesquita) foi acionada para ocorrência no bairro Valverde. No local, os policiais localizaram o solicitante e a suspeita, identificada como Letícia Karam de Assis. Ambos foram conduzidos à 52ª DP.

O homem que acionou a PM contra a jovem foi o colunista Daniel Nascimento, do jornal O Dia, conforme noticiado pelo próprio veículo. Ao jornal que trabalha, ele contou que a discussão começou devido a um lugar na fila do caixa do estabelecimento.

De acordo com Daniel, a mãe de Letícia, a advogada Rosemary Karam, que aparece de cabelo loiro no vídeo que ele gravou (veja acima), teria saído da fila e depois tentou voltar, esbarrando nele. Conforme relatado pelo jornalista, nesse momento ele afirmou à mulher que ela precisava decidir onde ficaria, já que a filha dela estava guardando lugar em uma outra fila do caixa. 

Mulher é presa por injúria racial após briga com jornalista em supermercado no RJ: 'Negrada'
Mulher é presa por injúria racial após briga com jornalista em supermercado no RJ: 'Negrada'
Foto: Reprodução

"Ela me olhou e disse que ficava onde quisesse. Disse também que era advogada criminalista e que não ia dar em nada. Depois a filha dela começou a me xingar. Disse que eu era um morto de fome, um pobre coitado e neguinho feio", afirmou Daniel ao jornal O Dia.

Ainda segundo ele, nesse momento começou a discussão entre ele, a mulher e Letícia, que teria o agredido com arranhões e socos. O jornalista afirma que reagiu às agressões e revidou com socos para se afastar.

No vídeo, Letícia, que aparece perto da mãe, ainda profere o termo racista "essa negrada" ao se referir aos clientes do supermercado que se posicionaram reprovando a atitude dela com Daniel. 

Conforme o jornalista, ao tentar impedir a saída da jovem e da mãe dela do mercado, ele foi agredido com mais socos.

A Polícia Civil informou ao Terra que Letícia Karam foi autuada em flagrante por injúria racial e o caso foi encaminhado à Justiça. 

Em audiência de custódia, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro homologou a prisão em flagrante e concedeu liberdade provisória a ela, impondo o cumprimento das seguintes medidas cautelares. 

  • Comparecimento trimestral ao juízo da 2ª Vara Criminal de Nova Iguaçu, a iniciar-se em abril de 2024; 
  • Proibição de fazer contato e de se aproximar das vítimas e das testemunhas dos fatos;
  • Proibição de ausentar-se da comarca por prazo superior a quinze dias, salvo em caso de expressa autorização do juízo natural.

O Terra tenta contato com ambas as mulheres que aparecem nas imagens. O espaço segue aberto para manifestações. 

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade