PUBLICIDADE

Ailton Krenak, 1º autor indígena imortal pela Academia Brasileira de Letras, toma posse hoje

Em outubro de 2023, o escritor de "Ideias Para Adiar o Fim do Mundo" e "A Vida Não é Útil" foi eleito com 23 votos

5 abr 2024 - 05h00
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Ailton Krenak, de 70 anos, é o primeiro indígena a tomar posse da Academia Brasileira de Letras (ABL) e irá ocupar a cadeira n.º 5, antes ocupada pelo historiador José Murilo de Carvalho. A cerimônia de posse é nesta sexta-feira, 5, às 20h, no Petit Trianon, na sede da Academia Brasileira de Letras, no Centro do Rio.
Ailton Krenak irá receber o colar de imortal de Fernanda Montenegro
Ailton Krenak irá receber o colar de imortal de Fernanda Montenegro
Foto: Produção Cultural no Brasil/Wikimedia Commons

O escritor e ambientalista Ailton Krenak, de 70 anos, é o primeiro indígena a tomar posse da Academia Brasileira de Letras (ABL). A cerimônia será nesta sexta-feira, 5, às 20h, no Petit Trianon, na sede da Academia Brasileira de Letras, no Centro do Rio.

Ele irá receber o colar de imortal de Fernanda Montenegro, a espada será entregue pelo acadêmico Arnaldo Niskier e o diploma pelo acadêmico Antonio Carlos Secchin. A cerimônia será transmitida pelo canal da ABL no YouTube.

Quem é Ailton Krenak, 1º indígena eleito para ABL Quem é Ailton Krenak, 1º indígena eleito para ABL

Em outubro de 2023, Krenak foi eleito com 23 votos e irá ocupar a cadeira n.º 5, antes ocupada pelo historiador José Murilo de Carvalho, que morreu em agosto. A historiadora Mary Del Priore ficou em segundo lugar, com 12 votos, e o também indígena Daniel Munduruku teve 4 votos.

Em nota divulgada no site da Academia Brasileira de Letras na última segunda-feira, 1, sobre a posse, a ABL citou que um dos objetivos de Krenak, como membro da academia, é criar uma plataforma para quem deseja acessar documentos, textos, imagens e filmes sobre as línguas nativas.

"Poderíamos fazer isso com todas as línguas nativas. Teria tudo a ver com a Academia Brasileira de Letras incluir mais umas 170 línguas além do português. Se olharmos os acervos que já existem, o Museu do Índio tem um acervo muito antigo de registros de narrativas, algumas delas só na língua materna. Vamos traduzir com uma tradução simultânea e as pessoas vão poder ouvir", disse o líder indígena.

"Podemos fazer isso junto com todas as etnias que estão envolvidas no resgate linguístico. A UNESCO declarou essa década, a segunda década das línguas indígenas. Podemos chamá-la para dar um pouco mais de publicidade junto com a ABL, porque quando está na web, está no mundo, deixa de estar apenas no site. A ideia é priorizar a oralidade, e não o texto. O que ameaça essas línguas é a ausência de falantes."

Ailton Krenak

Natural de Itabirinha, Minas Gerais, Ailton Krenak é considerado uma das grandes lideranças indígenas da atualidade. Em 1985, ele fundou o Núcleo de Cultura Indígena, uma organização não governamental que promove a cultura indígena.

Krenak é autor de livros como "Ideias Para Adiar o Fim do Mundo", "A Vida Não é Útil" e "O Amanhã Não Está à Venda". As suas obras foram traduzidas para mais de 13 países.

O indígena também é professor Honoris Causa pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e membro da Academia Mineira de Letras. Ele vive na Reserva Indígena Krenak, em Resplendor (MG).

Fonte: Redação Nós
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade