PUBLICIDADE

Medvedev e Rublev vencem croatas e Rússia conquista Copa Davis pela terceira vez

Organização do torneio sorteia confrontos do próximo ano: equipe brasileira enfrentará, em casa, a Alemanha entre os dias 4 e 5 de março

5 dez 2021 17h09
| atualizado às 17h38
ver comentários
Publicidade

A Rússia conquistou neste domingo, pela terceira vez em sua história, o título da Copa Davis. Muito graças à campanha perfeita de Daniil Medvedev, atual número 2 do mundo, nesta edição da competição realizada em Madri, na Espanha. Pouco depois de Andrey Rublev, quinto colocado do ranking da ATP, vencer o jogo de abertura no confronto - 6/4 e 7/6 (7/5) contra Borna Gojo -, foi a vez de o vice-líder definir a série por 2 a 0 ao superar Marin Cilic por 7/6 (9/7) e 6/2.

A equipe russa já havia conquistado a Davis em 2002 e 2006, além dos vice-campeonatos em 1994, 1995 e 2007. O país também já disputou as competições sob bandeiras da União Soviética, entre 1962 e 1991, e da Comunidade dos Estados Independentes (CEI) em 1992. Na atual temporada, os russos não podem usar a bandeira e hino, utilizando o emblema da Federação de Tênis do país.

Na galeria de tricampeões da Davis, os russos se igualam aos times da República Checa e da Alemanha. Os recordistas são os Estados Unidos, com 32 conquistas, seguidos pela Austrália com 28. França e Grã-Bretanha têm 10 títulos, com sete para a Espanha. Já a vice-campeã Croácia segue com dois troféus na Davis, em 2005 e 2018.

A conquista também consolida um ano perfeito dos tenistas russos em competições por equipes. Logo no início da temporada, a equipe formada por Rublev, Medvedev e Aslan Karatsev venceu a ATP Cup na Austrália. E no mês passado, as mulheres russas venceram a Copa Billie Jean King em Praga, superando a Suíça na final.

Medvedev fez uma campanha perfeita na Copa Davis deste ano, já que não perdeu nenhum set nos cinco jogos que disputou. Durante a fase de grupos, o número 2 do mundo venceu seus jogos contra Emilio Gomez e Pablo Carreño Busta nos confrontos contra Equador e Espanha, respectivamente. Nas quartas contra a Suécia, derrotou Mikael Ymer. Já na semifinal contra a Alemanha, passou por Jan-Lennard Struff. Aos 25 anos, o russo tem agora oito vitórias e apenas duas derrotas em partidas de simples pela Copa Davis.

DAVIS 2022

Foram sorteados neste domingo os confrontos do qualificatório mundial de 2022 que valem vaga para a fase final da competição do ano que vem. O Brasil jogará em casa contra a Alemanha entre os dias 4 e 5 de março. Quem perder o duelo jogará o Grupo Mundial I em setembro.

A fase final da Davis terá 16 países, divididos em quatro grupos, com cidades-sede diferentes. O evento terá 12 dias de duração, mas datas e locais ainda não estão definidos. A organização anunciou que Sérvia e Grã-Bretanha entrarão diretamente nesta etapa decisiva.

A equipe brasileira disputou o qualificatório mundial ainda em 2020, quando perdeu para a Austrália fora de casa. Já neste ano, atuou pelo Grupo Mundial I e confirmou o amplo favoritismo que tinha no confronto contra o Líbano, contando com um time muito jovem durante o final de semana de disputa. Participaram do confronto Felipe Meligeni, Orlando Luz, Matheus Pucinelli, Rafael Matos e Marcelo Demoliner.

Estadão
Publicidade
Publicidade