PUBLICIDADE

Federer segue em baixa no ranking da ATP, perde mais quatro lugares e agora está em 15º

Ausente no circuito profissional por causa de uma lesão no joelho, tenista suíço segue perdendo posições e vê risco de ficar fora até do Top 20

25 out 2021 13h06
| atualizado às 13h29
ver comentários
Publicidade

Aos poucos a ausência no circuito profissional, em razão da recuperação de uma terceira cirurgia no joelho, está causando consequências ruins para Roger Federer no ranking da ATP. O suíço segue perdendo colocações e já vê o Top 20 em risco. Na atualização divulgada nesta segunda-feira, o tenista de 40 anos caiu mais quatro posições, mas ainda se manteve entre os 15 primeiros, ocupando justamente o 15.º lugar.

Federer foi ultrapassado pelo italiano Jannik Sinner, que ficou ainda mais perto do inédito Top 10, pelos canadenses Felix Auger-Aliassime (12.º) e Denis Shapovalov (13.º) e pelo britânico Cameron Norrie, que ao atingir a 14.ª colocação conseguiu a melhor marca da carreira até então.

A maior ameaça ao suíço na próxima semana é o argentino Diego Schwartzman, que está 92 pontos atrás e precisa ir até as semifinais do ATP 500 de Viena, na Áustria, nesta semana, se quiser superar Federer. Também podem superar o tenista suíço já no próximo ranking, na próxima segunda-feira, o chileno Cristian Garin e o espanhol Pablo Carreño Busta.

Federer não defende mais pontos até a última semana da temporada 2021, quando verá serem descontados 400 pontos pela semifinal do ATP Finals de 2019. Por enquanto, mesmo se perder essa pontuação, o suíço se manteria no Top 20 justamente no 20.º lugar.

Entre os brasileiros, a semana não começou boa para o cearense Thiago Monteiro, que no domingo revelou um desconforto no adutor e por isso não disputará o Challenger de Lima, no Peru. Nesta segunda-feira, ele viu também seu ranking cair, descendo cinco colocações na lista da ATP e indo para o atual 97.º lugar.

Como não irá jogar nesta semana, Monteiro corre algum risco de deixar o Top 100, mas precisa de uma combinação de resultados dos rivais que estão logo atrás, principalmente porque provisoriamente vai ganhando duas posições e teria então que ser superado por seis oponentes.

Quem não se moveu no ranking foi o paranaense Thiago Wild, número 2 do Brasil e 126 do mundo. Um pouco mais embaixo, o brasiliense Gilbert Klier deu o maior salto entre os 10 melhores brasileiros da ATP, ganhou 51 colocações e agora é o 424 do mundo, sua melhor posição da carreira.

FEMININO

Semifinalista na semana passada no W80 de Macon, nos Estados Unidos, a brasileira Beatriz Haddad Maia continua escalando o ranking e cada vez mais se firma entre as 100 melhores do mundo. Na lista desta segunda-feira, ela ganhou mais três colocações e agora é a 91.ª do mundo.

Bia Haddad pode manter o bom momento e subir um pouco mais nesta semana no W80 de Tyler, também em solo americano, onde buscará mais pontos para voltar a figurar entre as 90 melhores ou até mais acima, dependendo do resultado. Contudo, algumas rivais logo abaixo disputam torneios maiores e ameaçam a brasileira.

Depois de Bia Haddad, mais três brasileiras aparecem no Top 300, com destaque para a paulista Carolina Meligeni Alves, sovrinha do ex-tenista Fernando Meligeni, que deu salto 18 colocações e agora é a 295.ª do mundo, aparecendo pela primeira vez na carreira entre as 300 primeiras.

Estadão
Publicidade
Publicidade