0
Logo do São Paulo
Foto: Marcos Bezerra / Futura Press

São Paulo

Lesão tira Everton do São Paulo por pelo menos três semanas

Jogador sentiu o problema no último sábado, durante o clássico contra o Palmeiras

10 out 2018
14h38
atualizado às 16h08
  • separator
  • comentários

O departamento médico do São Paulo confirmou nesta quarta-feira que o meia-atacante Everton sofreu um estiramento no músculo posterior da coxa esquerda durante o clássico contra o Palmeiras, no último sábado, no Morumbi, e desfalcará o time nas próximas rodadas do Campeonato Brasileiro.

O período mínimo estimado para a recuperação deste tipo de lesão é de três semanas, sendo que o atleta havia voltado a atuar no duelo diante dos palmeirenses após um longo período de afastamento. Desde o jogo contra o Ceará, no dia 26 de agosto, ele só conseguiu jogar mais duas vezes. Uma delas foi contra o Santos, no dia 16 de setembro, na Vila Belmiro, quando precisou ser substituído ainda no primeiro tempo por causa de dores musculares.

Everton praticamente não jogou no segundo turno do Brasileirão
Everton praticamente não jogou no segundo turno do Brasileirão
Foto: Divulgação/ São Paulo / Estadão Conteúdo

Na partida contra os cearenses, Everton sofreu uma lesão no mesmo músculo. E depois só voltou a atuar no confronto diante do time santista. E, contra o Palmeiras, só foi colocado em campo pelo técnico Diego Aguirre no segundo tempo, quando a sua equipe já perdia o duelo por 2 a 0.

Com a nova lesão, Everton se torna novamente desfalque de peso do São Paulo para a reta decisiva do Brasileirão. O time volta a jogar neste domingo, contra o Internacional, às 16h, no Beira-Rio, pela 29ª rodada da competição.

Por meio de nota publicada em seu site oficial, o São Paulo informou que o jogador iniciou tratamento fisioterápico no domingo, dia de folga do elenco após o clássico, mas reclamou que as dores persistiam quando ele tentou trotar no gramado. O fato motivou a realização de um exame de ultrassonografia, que detectou o novo estiramento.

Veja também:

 

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade