PUBLICIDADE
Logo do

Palmeiras

Meu time

Jogadora da seleção faz comentário homofóbico sobre Paulo Gustavo; depois, pede perdão

Chú afirmou que o ator iria para o inferno por sua sexualidade e outras atletas, como Marte e Cristiane, criticam; Palmeiras afirma que caso será tratado internamente

10 mai 2021 00h44
ver comentários
Publicidade

A atacante Chú, do Palmeiras e da seleção brasileira, publicou um comentário homofóbico em seu Facebook ao comentar a morte de Paulo Gustavo. Em uma comparação entre o ator e o cantor gospel e político Irmão Lázaro, que morreram em 2021 por conta da covid-19, Chú afirmou que a diferença entre os dois é que Lázaro iria para o paraíso e Paulo Gustavo para o inferno, por conta da sexualidade.

A imagem do comentário passou a circular e atraiu muitas críticas para a jogadora e para o clube. Ambos se manifestaram durante o dia: Chú pediu perdão, enquanto o clube afirmou que ela entendeu o erro e recebeu orientação para ter um comportamento adequado.

"Da mesma forma que tive peito de ir lá e comentar no facebook, também tenho peito de vir aqui me desculpar. Pode ter certeza que não vai mais acontecer, foi um impulso e acabou gerando esse comentário. Quero pedir desculpas a todos vocês, se atingiu vocês de alguma forma. Peço desculpas e quero que vocês me perdoem", afirmou Chú em vídeo publicado nas redes sociais. Posteriormente, ela limitou quem poderia ver suas postagens.

Outras jogadoras já haviam criticado a postura. Katiuscia, lateral-direita do Corinthians, escreveu em seu Twitter: "Quando chegar lá no céu, não vai ter Deus pra julgar não, vai ter a Chú pra julgar quem sobe e quem desce". Kika Brandino, atleta do Grêmio, também se manifestou: "Religião não é desculpa, LGBTfobia é crime". Parte da torcida do Palmeiras criticou a postura do clube no episódio e pediu a rescisão de contrato com a jogadora.

Marta e Cristiane também se manifestaram. "Não julguem. Só Deus pode julgar, tá? Ninguém sabe o dia de amanhã, não é isso? Ninguém pode julgar ninguém: quem vai para o céu, para o inferno. Isso aí é com Deus", afirmou a meiocampista do Orlando City.

"Em meio a tantas lutas, preconceitos e piadas que nos fazem mal, temos uma atleta do nosso meio que, sem o mínimo de respeito e amor ao próximo (que é isso que Deus deseja a todos), vem com seu falso moralismo, julgando e atacando as pessoas", criticou Cristiane, atualmente no Santos.

O Palmeiras enfrentou o Corinthians pelo Campeonato Brasileiro Feminino na noite desde domingo. Antes da partida começar, a música 'Toda Forma de Amor', de Lulu Santos, foi reproduzida nos alto-falantes do Parque São Jorge; durante o minuto de silêncio pelas vítimas da covid-19, as atletas corintianas fizeram um coração com a mão, também em sinal de protesto.

Em campo, Corinthians e Palmeiras empataram em 1 a 1. O time alviverde saiu na frente com gol de Bruna Calderan, e Vic Albuquerque empatou pouco depois. O Palmeiras é o líder do Campeonato Brasileiro Feminino, e o Corinthians está na segunda colocação, mas pode ser ultrapassado pelo Santos nesta segunda, no complemento da rodada.

Estadão
Publicidade
Publicidade