1 evento ao vivo

Viñales se decepciona com performance em San Marino: "Difícil ter explicação"

Dono da pole, o espanhol perdeu terreno logo nos primeiros metros da corrida em Misano e acabou apenas em sexto. O titular da Yamaha não conseguiu explicar a diferença de performance em relação aos treinos do fim de semana

14 set 2020
10h53
atualizado às 13h16
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Maverick Viñales perdeu terreno logo no começo da disputa em Misano
Maverick Viñales perdeu terreno logo no começo da disputa em Misano
Foto: Grande Prêmio

Maverick Viñales não conseguiu indicar o motivo da queda de performance no GP de San Marino e da Riviera de Rimini de domingo (13). Depois de cravar a pole com direito a novo recorde para Misano, o espanhol caiu para quarto ainda nos primeiros metros, chegou a escorregar para o sétimo lugar e recebeu a bandeirada apenas em sexto, 5s383 atrás de Franco Morbidelli, o vencedor.

Enquanto o pelotão se dividiu na opção por macio e médio traseiro, Maverick foi o único a largar com um calçado duro na traseira. Valentino Rossi chegou a deixar os boxes com a mesma escolha, mas trocou antes da largada e foi de médio, assim como Morbidelli e Fabio Quartararo.

Maverick Viñales não conseguiu manter o mesmo desempenho dos treinos na corrida
Maverick Viñales não conseguiu manter o mesmo desempenho dos treinos na corrida
Foto: Grande Prêmio

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

"Estou realmente desapontado", disse Viñales. "Não sei por que faltou tanta aderência na corrida. Eu tentei de tudo, mas não tenho resposta o suficiente do pneu traseiro e não tenho aderência o bastante", seguiu.

O piloto de Figueres não conseguiu justificar a mudança no rendimento na YZR-M1, mas falou em tentar achar uma solução no teste coletivo que a MotoGP vai fazer no traçado italiano nesta terça-feira.

"É sempre a mesma coisa, então, é difícil ter uma explicação. Vamos tentar trabalhar no teste na terça-feira. Eu sempre dou muitas voltas, mas isso nunca importa, já que na corrida é sempre a mesma coisa, não tenho aderência no pneu traseiro, então, tenho de ser muito suave e não posso ser agressivo, então, perco muito tempo, também na freada", relatou.

"É complicado, porque não tenho explicação para a razão de poder ser tão rápido no treino, mas aí na corrida todo mundo me ultrapassa. Vou tentar relaxar e refrescar a minha mente. Somos rápidos aqui e isso é o mais importante".

Apesar de ter sido o único a calçar o traseiro duro para a corrida, Viñales isentou a escolha de pneus e culpou a falta de velocidade da Yamaha na comparação com as Ducati e as Suzuki.

"Vai ser difícil lutar pelo campeonato assim", comentou Viñales. "Não sei [se foi a opção certa]. Fomos realmente rápidos durante todo o fim de semana com os macios, médios ou duros, então, não me importei com os pneus. Eu era rápido o bastante para estar na frente e brigar pela vitória. No fim da corrida, fiz três ou quatro voltas rápidas, mas era tarde demais. Estou muito desapontado", concluiu.

Veja também:

Vai ter jogo? Editor do L! analisa imbróglio na partida entre Palmeiras e Flamengo pelo Brasileirão
Grande Prêmio
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade