PUBLICIDADE

Rins cita sondagens de empresário e revela: "KTM está interessada em mim"

Com a Suzuki de saída do Mundial, espanhol está a procura de um novo endereço na MotoGP para 2023. O #42 contou que o empresário dele já falou com Aprilia, Honda e Yamaha, mas revelou que foi alvo do interesse da KTM

16 mai 2022 09h02
ver comentários
Publicidade
Álex Rins busca abrigo na temporada 2023 da MotoGP
Álex Rins busca abrigo na temporada 2023 da MotoGP
Foto: Suzuki / Grande Prêmio

BASTIANINI, MARTÍN OU MILLER: QUEM FICA COM A VAGA NA DUCATI NA MOTOGP EM 2023?

Álex Rins revelou que foi alvo do interesse da KTM para a temporada 2023 da MotoGP. O espanhol foi parar no mercado de pilotos com a decisão inesperada da Suzuki de deixar o Mundial de Motovelocidade no final da atual temporada.

Rins vinha negociando para seguir com a casa de Hamamatsu, mas foi pego de surpresa no último dia 5, quando foi comunicado por Livio Suppo e Shinichi Sahara, chefe e líder do projeto da Suzuki, respectivamente, da decisão do conselho da montadora de deixar o campeonato ainda no primeiro ano de um contrato em vigor até 2026.

CLASSIFICAÇÃO DA MOTOGP

Álex Rins revelou que foi alvo do interesse da KTM (Foto: Suzuki)

O BRASIL EM DUAS RODAS

Assim, Álex e Joan Mir passaram a ser peças importantes no mercado de pilotos. Enquanto o campeão de 2020 surge mais atrelado a lugar na Honda ― na vaga que hoje é de Pol Espargaró ―, o destino de Rins parece mais aberto.

"Bom, este é o primeiro fim de semana em que estamos nesta situação, mas a KTM está interessada em mim", revelou Rins. "Meu agente também conversou com Aprilia, Honda e Yamaha. Vamos ver no que dá", comentou.

Pouco antes da largada do GP da França, a emissora italiana Sky Sports noticiou que Jack Miller era alvo do interesse da casa austríaca. O australiano é empresariado por Aki Ajo, que comanda as equipes da marca em Moto3 e Moto2, e trabalhou na Pramac com Francesco Guidotti, que agora comanda a KTM.

De acordo com os italianos, o caminho de Miller, porém, não seria necessariamente o time de fábrica. Jack poderia defender as cores da Tech3, assim como aconteceu com Danilo Petrucci no ano passado.

Questionado pelo site da MotoGP se já tinha um acordo com a KTM, Miller respondeu: "Sem comentários. Têm muitos caras por aí falando bobagem. Completamos um terço da temporada, temos todo o resto da temporada com essas cores, pelo menos, e estou ansioso para conquistar o máximo de pódios e, tomara, mais uma ou duas vitórias antes de deixá-las ou permanecer com elas. O que quer que seja".

Por enquanto, a KTM renovou apenas com Brad Binder até 2024. O futuro de Miguel Oliveira segue em aberto, mas o português, apesar de já ter vencido em 2022 ― no GP da Indonésia ― tem tido um ano muito irregular e admitiu ao site britânico The Race que não espera ter o futuro definido tão cedo.

Do lado da Tech3, a incerteza vem desde antes da temporada, já que Raúl Fernández nunca escondeu que sequer gostaria de estar ali. O espanhol foi sondado pela Yamaha, mas a KTM executou uma cláusula contratual e o colocou na equipe de Hervé Poncharal, onde ele ainda não conseguiu pontuar.

Do outro lado dos boxes, Remy Gardner também tem o futuro em aberto e já cogita até a possibilidade de migrar para o Mundial de Superbike.

A MotoGP volta às pistas no próximo dia 29 de maio para o GP da Itália, em Mugello, oitava etapa da temporada 2022. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2022.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

SUZUKI DETONA BOMBA NA MOTOGP COM ANUNCIO DE SAÍDA EM 2022

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.
Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade