4 eventos ao vivo

"Que vença o melhor": Suzuki evita ordens e deixa Mir e Rins livres na briga pelo título

Davide Brivio admitiu rever a posição apenas para a corrida final da temporada 2020 da MotoGP se um dos dois pilotos não tiver mais chances de título

28 out 2020
10h03
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Mir e Rins estão separados por 32 pontos na classificação da MotoGP
Mir e Rins estão separados por 32 pontos na classificação da MotoGP
Foto: Suzuki / Grande Prêmio

A Suzuki não planeja se valer de ordens de equipe com Joan Mir e Álex Rins na temporada 2020 da MotoGP. Chefe do time, Davide Brivio reconheceu ter uma visão romântica da briga pelo título e considerou que é sempre melhor que cada piloto "lute com suas próprias forças".

Faltando apenas os GPs da Europa, da Comunidade Valenciana e de Portugal para o encerramento da disputa, Mir lidera a MotoGP com 137 pontos, 14 a mais que Fabio Quartararo, o segundo colocado. Rins aparece na sexta colocação, 32 pontos atrás do ponteiro.

A dupla da Suzuki segue livre para disputar o título
A dupla da Suzuki segue livre para disputar o título
Foto: Suzuki / Grande Prêmio

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Depois de Rins brincar que ter os dois pilotos na briga pelo título é um grande problema para a Suzuki, Brivio foi além: "Este é um problema que eu gostaria de ter todos os anos", riu.

Questionado sobre a maneira como a Suzuki vai lidar com a situação, dirigente descartou ordens de equipe e deu liberdade aos pilotos, mas deixou claro o pedido para que eles tenham respeito um pelo outro.

"Quando os dois pilotos têm a oportunidade de lutar pelo Mundial, isso elimina qualquer jogada de equipe. A única estratégia de que conversamos é que os dois companheiros de equipe têm de ter respeito um pelo outro na pista, devem ser corretos um com o outro", explicou. "A Suzuki realmente não gosta de jogos de equipe. Dissemos aos nossos pilotos: que vença o melhor", seguiu.

O dirigente, porém, admitiu rever a posição se, na última corrida do ano, um dos dois pilotos estiver fora da disputa.

"Se chegarmos na última corrida com um deles fora do jogo, pode ser que a gente converse a respeito", comentou. "Talvez seja muito românico, mas é bom que um campeonato seja vencido sem ajuda, que cada um lute com suas próprias forças. Dito isso, no momento não há ordens de equipe", completou.

Ouça os programas do GRANDE PRÊMIO no formato de podcast:

Veja também:

Confira a repercussão da morte de Maradona na Argentina e pelo mundo
Grande Prêmio
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade