1 evento ao vivo

Vasco perde mais de 6 mil sócios em três meses e espera torcida 'fiel' para ajudar nas receitas

Presidente Alexandre Campello ressalta a importância da renovação nos planos de sócio; pandemia pode dificultar e reduzir o número de pessoas no programa

28 mar 2020
06h02
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A paralisação do esporte por conta da pandemia do novo coronavírus trará impactos ainda não conhecidos aos clubes de futebol. No Vasco, uma das áreas que pode ter maior impacto nos próximos meses é o sócio-torcedor, que já perdeu mais de seis mil pessoas desde o final da promoção de "Black Friday", no fim do ano passado. Com o maior programa do Brasil, o Cruz-Maltino começa a projetar de onde conseguirá tirar recursos para se manter enquanto as competições estão suspensas. O orçamento do clube para esta temporada planejava arrecadar R$ 43.975.121,08 dos associados, além de R$ 4.578.993,38 com os sócios estatutários.

Campello ressalta importância de ter um sócio forte para ajudar nas receitas (Foto: Rafael Ribeiro / Vasco da Gama)
Campello ressalta importância de ter um sócio forte para ajudar nas receitas (Foto: Rafael Ribeiro / Vasco da Gama)
Foto: Lance!

O portal da transparência do Vasco disponibiliza o acompanhamento dos números ao final de cada mês. De acordo com o site, o clube fechou dezembro de 2019 com 185.404 sócios, quando terminou o oferecimento do valor promocional, e janeiro de 2020 com 183.464. Em fevereiro, esse número caiu para 181.576 e em março, até o fechamento desta reportagem, a contagem estava em 179.044. Os números divulgados no site sociogigante.com incluem os sócios-torcedores e os estatutários.

O período que pode gerar uma queda maior nesse número será entre maio e junho, quando se encerram os seis meses da promoção e o valor voltará ao normal. Somado a isso está o momento de incerteza vivido por causa do coronavírus em todo mundo. Sem ter como aproveitar os benefícios do programa, que tem como principais vantagens a facilidade no acesso aos jogos, muitas pessoas podem desistir de manter o vínculo. O segundo fator, talvez até mais importante, é que, caso a necessidade de quarentena siga por dois, três ou mais meses, uma parcela significativa da população terá uma redução renda mensal. É natural que, no corte de gastos, o sócio-torcedor seja um dos primeiros a cair.
- Esperamos que o vascaíno continue fiel e participando, mas existe sempre a possibilidade de uma diminuição. Em qualquer cenário o programa de sócio é fundamental, aliás, qualquer receita é importante. Quando fizemos essa campanha, foi feito com o valor bastante baixo. O ticket médio do Vasco era de R$ 40, que é um valor baixo para um programa de sócio, ainda mais um que dá a uma parte dos torcedores o direito de não pagar, entrar nos jogos apenas fazendo check-in. Já é um valor baixo - disse o presidente Alexandre Campello em entrevista ao canal "Atenção, Vascaínos".

- Quando fizemos a Black Friday, a ideia era aumentar o número de sócios e posteriormente aumentar o valor do ticket médio. A ideia é que o valor volte aos R$ 40 e isso contribua de maneira mais significativa com o clube. A gente espera que o torcedor renove o contrato, pois o clube vai precisar muito dessa receita - completou.

O Vasco encerrou a promoção de novos sócios no Natal. A ação dava desconto de 50% em todos os planos nos seis primeiros meses de associação para incentivar a adesão. Antes da campanha, o clube tinha 33 mil sócios e quando o período se encerrou, depois do Natal, os números eram de quase 185 mil. Em dois meses, entretanto, o número caiu para 181.260 pessoas.

Números do sócio:

Maio/2019 - 23.816
Junho/2019 - 24.277
Julho/2019 - 25.719
Agosto/2019 - 26.806
Setembro/2019 - 30.266
Outubro/2019 - 32.192
Novembro/2019 - 122.006
Dezembro/2019 - 185.404
Janeiro/2020 - 183.464
Fevereiro/2020 - 181.576
24/03/2020 - 179.250
27/03/2020 - 179.044

Veja também:

Pelé é superestimado? Editor do L! avalia polêmica criada por site inglês
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade