PUBLICIDADE

Tite garante Neymar no banco contra a Croácia

Treinador da Seleção diz que craque está 'em processo de recuperação' e não deve começar como titular no amistoso deste domingo

2 jun 2018
14h12 atualizado às 17h48
0comentários
14h12 atualizado às 17h48
Publicidade

Neymar não começará como titular no amistoso diante da Croácia. Em entrevista coletiva realizada neste sábado, Tite afirmou que o camisa 10 ainda está em um processo de recuperação e disse acreditar que a equipe tem outros jogadores capazes de assumir o protagonismo.

- Ele vai ficar no banco porque está num processo de recuperação e vai entrar no segundo tempo porque é um jogo de preparação de toda a equipe. No intervalo ele vai entrar. Quem vai sair eu não sei. Ele tem que ser sim o protagonista, mas os outros têm que ser protagonistas - declarou.

O treinador também falou sobre a difícil decisão de quem formará a dupla de zaga titular do Brasil na Copa do Mundo ao lado de Miranda, que, segundo ele, sai à frente por conta da sequência.

- Se você pegar a minutagem de cada um, tem em torno de 1200 para o Miranda, Marquinho 1100, Thiago uns 800. No último momento, todos em altíssimo nível. Marquinhos machucou, entrou o Thiago e jogou muito. Às vezes dói o coração e o cara tem que decidir. Qualquer um dos três escalado seria justo, e qualquer um fora, menos o Miranda, que tem a sequência. São aquelas decisões que para escolher em favor de alguém tem que preterir o outro.

Sobre a disputa no setor ofensivo, Tite exaltou a temporada de Roberto Firmino e garantiu que a disputa entre ele e Gabriel Jesus segue aberta.

- Há uma competição e o Gabriel está arrebentando. Mas ele (Firmino) está botando pressão. Eu assisti ao último jogo (contra Roma) e assisti ao jogo inteiro de pé. Ele está botando pressão. A qualquer momento pode entrar. Menos pelo lado, porque entendo que ele como central é melhor.

Tite afirma que Neymar não começará como titular diante da Croácia (Foto: Pedro Martins / MoWA Press)
Tite afirma que Neymar não começará como titular diante da Croácia (Foto: Pedro Martins / MoWA Press)
Foto: Lance!

Confira outros trechos da entrevista:

Treinos fechados

- A decisão é minha. Tenho respeito muito grande ao trabalho de vocês (jornalistas) , sei que se municiam de informações e tentamos um ponto de equilíbrio para ter privacidade na hora de fazer uma substituição e dar uma dura. Eu não tô sempre bem humorado. Não estou todo dia assim. Fazer um trabalho e errar, errar, errar. Daqui a pouco, tem um problema com o Neymar. Imagina como isso iria ecoar. Tem que equalizar o trabalho e a privacidade.

Disputa no meio-campo

- Eu tenho pautado o equilíbrio. O Fernandinho remete à uma característica do Atlético-PR e adaptada ao City, o articulador, o passador do lado esquerdo com liberdade de Marcelo e do atacante que estiver do lado esquerdo. Quando tiver o Renato, ele é um pouco mais armador e articulador nesse aspecto.

Sobre a ausência de Renato Augusto

- Renato baixou por alguns aspectos. Na China, no período de férias, conversei com ele. O nível de treinamento baixou, alguns problemas de pancada. Ele caiu, Fernandinho em alto nível, por vezes Coutinho do lado, só avião. Passei um vídeo a ele. Qual é nosso objetivo? Retomar o 'padrão Renato'. O dia a dia vai te dar. Nas férias, ficou trabalhando e está no ritmo retomando processo normal. Foi precaução, não poderia expor ele num jogo amistoso.

Rodízio de capitães

- Daniel era o capitão. Fica aqui minha mensagem, meu respeito. Contra Alemanha e Inglaterra foi importante. Vai continuar o rodízio. Mas atletas que já estejam calejados, com maior experiência, vão ser os mais utilizados.

Declaração polêmica de Diego

- Tenho uma série de responsabilidades importantes e quero ficar focado no meu trabalho da seleção.

 

Lance!
Publicidade
Publicidade