PUBLICIDADE

Por uma nova fase: saiba os detalhes do Deportivo Lara, adversário de um dos brasileiros na Copa Libertadores

Equipe deposita fichas em treinador argentino para alcançar feito inédito em sua trajetória na competição: ir além da fase de grupos. Porém, missão é árdua para o jovem clube

16 fev 2021 08h13
| atualizado às 09h10
ver comentários
Publicidade
Equipe de Cabudare iniciou sua preparação neste mês de olho na Libertadores (Divulgação Deportivo Lara)
Equipe de Cabudare iniciou sua preparação neste mês de olho na Libertadores (Divulgação Deportivo Lara)
Foto: Lance!

O desejo de pavimentar uma rota mais vitoriosa do Deportivo Lara na Copa Libertadores voltou a acalentar a população de Cabudare. Pela quarta vez em seus 11 anos de história, o "rojinegro" desembarca na competição continental e busca, enfim, ir além da fase de grupos. Porém, em um momento no qual ainda corre contra o tempo para o elenco adquirir sequência de jogo, terá superar antes um confronto complicado nas fases prévias da Liberta.

Seu futuro adversário inicialmente é "Brasil 8", destinado ao sexto colocado do Brasileirão. Contudo, como o Palmeiras, campeão da Libertadores de 2020, ocupa esta posição a vaga é repassada ao sétimo colocado. Só que o Verdão está na final da Copa do Brasil, contra o Grêmio, que também está no pelotão da frente. Com isto, o Brasileiro pode chegar a um G8.

Além do Tricolor gaúcho (que pode se credenciar para a próxima Libertadores pelo Brasileiro ou com o título da Copa do Brasil), Athletico-PR, Santos, Corinthians e RB Bragantino acirram a disputa para ser o "Brasil 8".

Independentemente de quem for o adversário, o encontro com um brasileiro não chega a ser tão incomum ao se tratar da saga do Deportivo Lara na Copa Libertadores.

LUTA PARA QUEBRAR SINA EM 'ENCONTROS' COM BRASILEIROS NA LIBERTA

Equipe colecionou derrotas para o Corinthians em 2018 e Cruzeiro em 2019. Confrontos ocorreram na fase de grupos (AFP)
Equipe colecionou derrotas para o Corinthians em 2018 e Cruzeiro em 2019. Confrontos ocorreram na fase de grupos (AFP)
Foto: Lance!

Esta será a terceira edição na qual a equipe de Cabudare (cidade localizada a 360 km de Caracas) enfrentará um time brasileiro. O Deportivo Lara não tem boas lembranças nos confrontos anteriores.

Rival do Corinthians na Copa Libertadores de 2018, a equipe estreou com um revés por 2 a 0 (com gol de Emerson Sheik e gol contra de Pernía) e, em seus domínios, amargou um acachapante 7 a 2. Na partida em território venezuelano, Jadson anotou três gols, Júnior Dutra marcou dois e Sidcley e Romero completaram a goleada, enquanto Reyes e Jesús Hernández fizeram os gols do Deportivo Lara.

No ano seguinte, foi a vez dos "rojinegros" enfrentarem o Cruzeiro. A Raposa venceu por 2 a 0 tanto no Mineirão, com gols de Rodriguinho e Jadson, quanto no Metropolitano de Lara, graças a um golaço de Fred e outro de Sassá.

Ao LANCE!, o comandante do Deportivo Lara na próxima Copa Libertadores, Martín Brignani, reconhece a tarefa árdua. Contudo, acredita que a equipe não se omitirá em campo.

- Sabemos que, por ser um time brasileiro, teremos um rival com boa sequência de jogo, enfrentaremos um duelo realmente complicado. Mas vamos nos propor a jogar de igual para igual, demonstrar que estamos crescendo. Temos a esperança, só que estamos cientes do quanto o adversário, mesmo que ainda não o conheçamos, será muito forte - afirmou.

O TEMPO COMO ADVERSÁRIO DA ATUAL EQUIPE

Foto: Lance!

A preocupação atual dos "rojinegros" é em relação ao planejamento para regressar à competição continental. A equipe corre contra o tempo e ainda lida com uma forte reestruturação em seu elenco.

- O Deportivo Lara optou pela contratação do técnico argentino Martín Brignani, por sua experiência de já ter comandado uma equipe na Libertadores: o Estudiantes de Mérida. Faz poucas semanas que a diretoria definiu o plantel, que tem muitas baixas e as compensou com algumas novidades. Trata-se de uma equipe jovem e ainda pouco encaixada, o que pode causar problemas - detalhou Armando Peña, jornalista do site "Visión Comercial".

Nomes como Pernía, Johan Arrieche, Cesar Gonzalez, Cesar Martinez, Carlos Salazar, Freddy Vargas, Luis Vargas e Ariel García deixaram o clube. Brignani reconheceu o panorama desafiador.

- Tivemos muitas saídas, em especial por transferências, inclusive de seis jogadores eram considerados importantes no elenco. Neste pouco tempo de treinamento, precisaremos implementar uma nova ideia que nos permita competir com qualquer adversário - declarou.

O argentino diz calendário local surge como uma dor de cabeça na preparação. O Campeonato Venezuelano está previsto para iniciar apenas em abril.

- Sabemos que não ter uma competição neste momento aqui na Venezuela é uma desvantagem em relação ao futebol brasileiro, no qual os clubes seguem jogando - e projetou:

- Chegaremos à disputa da Libertadores tendo disputado entre cinco e sete jogos amistosos contra equipes da primeira e da segunda divisão da Venezuela. Mas estar em uma competição deste nível, contra um rival brasileiro é uma grande motivação - complementou.

O treinador falou sobre a responsabilidade de retornar à Libertadores após sua campanha pelo Estudiantes de Mérida, equipe venezuelana que disputou a edição de 2020.

- Isto dá margem para que eu tente não cometer os mesmos erros que cometi quando estive no Estudiantes. Lá não fomos bem (a equipe venceu apenas um jogo e ficou na penúltima colocação no Grupo G, que também tinha Nacional-URU, Racing e Alianza Lima), mas lutamos muito - disse.

GRANDES ESPERANÇAS

Barrios é uma das novidades (Divulgação Deportivo Lara)
Barrios é uma das novidades (Divulgação Deportivo Lara)
Foto: Lance!

O Deportivo Lara abrirá espaço para sangue novo nesta edição da Copa Libertadores. Tudo começou com uma determinação curiosa em consequência do impacto da pandemia de Covid-19 no futebol venezuelano. Após o futebol parar por seis meses, a Federação Venezuelana de Futebol (FVF) e a Liga FUTVE cancelaram o formato competição, que previa o Torneo Apertura e o Torneo Clausura.

Com a permissão da volta do futebol, surgiu o Torneo Normalización, no qual 17 times se dividiram em dois grupos e disputaram partidas em duas sedes: nove clubes ficaram em Carabobo (com partidas divididas entre Puerto Cabello e Valencia) e outro grupo, com oito equipes, jogou em Barinas.

Jovens começaram a despontar na competição e hoje os do Deportivo Lara são bem cotados. A expectativa recai sobre o meio-campista Jesús Bueno, de 21 anos, autor do gol da classificação da equipe para a Copa Libertadores, na vitória sobre o Caracas, por 1 a 0, na decisão do terceiro lugar.

O meia Telasco Segovia, de 17 anos, o ponta Jean Castillo, de 19 anos, e o meia-atacante Perdomo, de 18 anos, também rendem esperanças aos torcedores na equipe.

Na linha de frente, os larenses têm uma novidade. Após um longo ciclo no Estudiantes de Mérida e uma passagem no Carabobo, Luis Barrios desembarca no clube para atuar ao lado do panamenho Ángel Sanchez. Ambos têm 26 anos.

O técnico Martín Brignani não esconde sua expectativa sobre o elenco que tem à sua disposição.

- Temos uma equipe jovem, de projeção, alguns com passagem por seleções de base da Venezuela. O torcedor pode esperar uma característica ofensiva dos atletas. Buscaremos mostrar este Deportivo Lara aguerrido na Libertadores - disse o comandante da equipe.

Não falta empenho ao Deportivo Lara na esperada empreitada de alçar voos maiores em sua história na Copa Libertadores. Mas desta vez, a jovem equipe terá de mostrar a que veio desde as fases iniciais da competição.

Lance!
Publicidade
Publicidade