2 eventos ao vivo

Esposa estuda denunciar são-paulino na Lei Maria da Penha

Milena Bemfica, que acusa o goleiro do São Paulo de tê-la agredido na última quarta-feira, fez um longo post em seu perfil no Instagram para indicar os seus próximos passos do caso

21 dez 2019
12h59
atualizado às 13h15
  • separator
  • 0
  • comentários

Neste sábado, Milena Bemfica, que acusa seu marido Jean, goleiro do São Paulo, de tê-la agredido na última quarta-feira, em Orlando, nos EUA, se pronunciou por meio de seu perfil no Instagram esclarecendo algumas situações e indicando os possíveis rumos do caso na Justiça brasileira. No momento, ela diz estudar denunciar o esposo na Lei Maria da Penha.

Jean será demitido pelo São Paulo logo após a férias e deve ser denunciado no Brasil (Foto: Rubens Chiri/São Paulo)
Jean será demitido pelo São Paulo logo após a férias e deve ser denunciado no Brasil (Foto: Rubens Chiri/São Paulo)
Foto: LANCE!

O atleta do São Paulo foi detido na última quarta-feira no quarto do hotel em que passava férias no estado da Florida, com sua família. O casal discutiu durante a madrugada e, segundo registro da ocorrência, Jean agrediu sua esposa com oitos socos em Milena na frente de suas filhas, que confirmaram a versão da mãe para os policiais locais que atenderam o caso.

No post publicado nesta manhã por Milena, ela faz um desabafo sobre ataques que tem recebido no último mês no Instagram, além disso ela esclareceu o motivo pelo qual não prestou queixa contra o marido nos EUA, uma vez que por ser "um bom pai", não queria que ele ficasse preso em um país estrangeiro, porém revela que pensa em denunciá-lo no Brasil dentro da lei pertinente.

"As demais atitudes, bem como ingressar com as indenizações pertinentes, a representação dele no Brasil pela Lei Maria da Penha, já estão sendo estudadas e examinadas junto com o corpo jurídico dos meus advogados", diz o texto.

Jean passou por uma audiência de custódia, na última quinta-feira e foi liberado da prisão sem a necessidade do pagamento da fiança, por ter se comprometido a comparecer a audiências futuras e ficar longe de problemas. O jogador terá um advogado constituído nos EUA e continuará respondendo pela acusação de violência doméstica. Neste sábado ele retornou ao Brasil e será demitido pelo São Paulo logo após a volta das férias.

Confira o texto publicado por Milena Bemfica e, em seguida, o post original:

"NOTA DE ESCLARECIMENTO:

Venho me pronunciar e colocar um ponto final sobre os últimos acontecimentos aqui no insta.

Depois de longa conversa com profissionais jurídicos, cheguei à conclusão ao falar com meu advogado @doutorgabrielbomfim de me posicionar para todos.

Infelizmente diante desse momento de dor e aflição venho recebendo ataques de fakes me ofendendo e me julgando.

Aproximadamente um mês pessoas vem utilizando de fakes para me perseguir e me causar transtornos e também a minha família.

Em momento algum eu quis denegrir ou tornar público uma discussão de família, mas sim usei as redes sociais para me pronunciar e pedir SOCORRO da violência doméstica com medo, e pensando nas minhas filhas menores.

Jean é um bom pai e foi um bom marido, sobre o caso específico as providências já estão sendo adotadas.

Nessa viagem eu estava sem o whatsapp pois tive o meu telefone celular roubado em São Paulo.

Assim como milhões de mulheres no mundo passam pela mesma situação e vivem caladas e com medo acreditando na melhora do agressor. Mas diante da gravidade eu não posso me manter calada.

Não se pode acreditar em hipótese alguma que minhas duas filhas uma de 05 e outra de 03 de idade estejam mentindo inventando os fatos.

Preferi não prestar queixa formal nos EUA, com intuito de não permitir a prisão do pai das crianças em outro território.

As demais atitudes, bem como ingressar com as indenizações pertinentes, a representação dele no Brasil pela Lei Maria da Penha, já estão sendo estudadas e examinadas junto com o corpo jurídico dos meus advogados.

Até a presente data NÃO FUI procurada nem por ele nem por ninguém para prestar assistência. Não obstante estar em outro pais com duas menores.

Peço que parem de me julgar, violência doméstica não é um mero capricho, uma discussão de família, se vocês observarem vão perceber o quanto eu estou fragilizada fisicamente, psicologicamente, sozinha, em um país diferente do meu com duas crianças.

Espero dar um ponto final nisso e que as coisas possam se resolver da melhor forma.

Obrigada.

21.12.2019, EUA, Orlando"

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

NOTA DE ESCLARECIMENTO: Venho me pronunciar e colocar um ponto final sobre os últimos acontecimentos aqui no insta. Depois de longa conversa com profissionais jurídicos, cheguei à conclusão ao falar com meu advogado @doutorgabrielbomfim de me posicionar para todos. Infelizmente diante desse momento de dor e aflição venho recebendo ataques de fakes me ofendendo e me julgando. Aproximadamente um mês pessoas vem utilizando de fakes para me Perseguir e me causar transtornos e também a minha família. Em momento algum eu quis denegrir ou tornar público uma discussão de família, mas sim usei as redes sociais para me pronunciar e pedir SOCORRO da violência doméstica com medo, e pensando nas minhas filhas menores. Jean é um bom pai e foi um bom marido, sobre o caso específico as providências já estão sendo adotadas. Nessa viagem eu estava sem o whatsapp pois tive o meu telefone celular roubado em São Paulo. Assim como milhões de mulheres no mundo passam pela mesma situação e vivem caladas e com medo acreditando na melhora do agressor. Mas diante da gravidade eu não posso me manter calada. Não se pode acreditar em hipótese alguma que minhas duas filhas uma de 05 e outra de 03 de idade estejam mentindo inventando os fatos. Preferi não prestar queixa formal nos EUA, com intuito de não permitir a prisão do pai das crianças em outro território. As demais atitudes, bem como ingressar com as indenizações pertinentes, a representação dele no Brasil pela Lei Maria da Penha, já estão sendo estudadas e examinadas junto com o corpo jurídico dos meus advogados. Até a presente data NÃO FUI procurada nem por ele nem por ninguém para prestar assistência. Não obstante estar em outro pais com duas menores. Peço que parem de me julgar, violência doméstica não é um mero capricho, uma discussão de família, se vocês observarem vão perceber o quanto eu estou fragilizada fisicamente, psicologicamente, sozinha, em um país diferente do meu com duas crianças. Espero dar um ponto final nisso e que as coisas possam se resolver da melhor forma. Obrigada. 21.12.2019, Eua, Orlando.

Uma publicação compartilhada por A Honra e a Glória é de Deus!🙌 (@maedasmarias01) em

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade