0

Com problemas, Abel é obrigado a explorar o 'craque coletivo' do Flu

Treinador admite que pode fazer mudanças no modo de atuar no clássico com o Flamengo, nesta quinta. Zagueiro Gum lembra que alterações mexem no entrosamento

6 jun 2018
06h33
atualizado às 06h33
  • separator
  • 0
  • comentários

"Digo para eles que o nosso craque é o coletivo". A frase é do técnico Abel Braga, em entrevista há pouco mais de um mês, ao falar sobre elenco e opções do Fluminense. E, talvez, tenha chegado o momento desse craque, mais do que nunca, dar as caras. O time, na últimas rodadas do Campeonato Brasileiro, conviveu com lesões e mudanças em setores um pouco mais carentes, e o entrosamento se tornou mais um obstáculo para o clássico com o Flamengo, nesta quinta-feira, em Brasília.

Abel Braga tem tido problemas nas últimas rodadas (Foto: MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC.)
Abel Braga tem tido problemas nas últimas rodadas (Foto: MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC.)
Foto: Lance!

Diante de alguns problemas, como a não utilização de Marcos Junior, o comandante tricolor admite, inclusive, que pode alterar a forma do Fluminense jogar. Vale lembrar que, contra o Grêmio, quando também não usou o camisa 35, ele escolheu o volante Dodi para a vaga e entrou com um esquema semelhante a um 3-6-1.

Um dos mais experientes do elenco, o zagueiro Gum admitiu que a falta de conhecimento entre os jogadores teve um peso na derrota para o Paraná, que era o então lanterna do Brasileiro, na última rodada, mas mostrou confiança nos companheiros que tem sido escolhidos para as respectivas substituições.

- Até aqui, todos tem entrado bem, ajudado muito. O Fluminense tem um grupo curto. Até essa partida, a equipe fez boas apresentações. Tivemos algumas perdas, o que atrapalha o entrosamento. A característica muda. Estavamos superando com conversa, luta e ajuda para fazer o máximo. Fizemos um jogo abaixo - disse o camisa 3.

Até o momento, em duas oportunidades - excluindo o primeiro jogo do ano, quando teve de usar um time alternativo - Abel Braga "abriu mão" do 3-5-2, ambas no decorrer do jogo e passando para o 4-4-2. Contra o São Paulo, tirou o zagueiro Frazan para colocar Matheus Alessandro e, no clássico com o Botafogo, colocou Pablo Dyego na vaga de Renato Chaves.

Disputa no ataque

Depois da derrota para o Paraná na última segunda-feira, o Fluminense embarca para Brasília, onde encara o Flamengo sem dois jogadores. O atacante Marcos Junior e o lateral-direito Léo retornaram ao Rio de Janeiro para iniciarem o tratamento de suas lesões.

O camisa 35 deixou o jogo logo aos 11 minutos do primeiro tempo com dores na coxa esquerda e foi descartado por Abel logo na entrevista coletiva. Já Léo ficaria de fora do clássico por ser jogador do Flamengo, mas torceu o tornozelo direito no segundo tempo e deixou a Vila Capanema com o pé imobilizado.

O Fluminense ainda informou que nenhum jogador será integrado ao grupo que seguirá para Brasília. Após a partida, Abel Braga abriu a possibilidade do atacante Pedro se recuperar a tempo da partida.

Sem Marcos Jr, o escolhido para entrar pelo menos contra o Paraná foi Robinho, mas a briga pela vaga é acirrada. No Brasileiro, Marcos Junior atuou em sete partidas e foi substituído em seis. Nestas oportunidades, Robinho foi o escolhido em três, Pablo Dyego em duas e Matheus Alessandro em uma. Porém, a única vez que Marcos Junior começou no banco - na estreia, contra o Corinthians -, foi preterido por Pablo Dyego, que formou dupla com Pedro.

Preocupação com volantes

Com os constantes problemas, Abel Braga demonstra preocupação com a parte física da dupla de volantes Jadson e Richard. Os jogadores são dois dos que mais atuaram no decorrer do ano e, além disso, Jadson está pendurado para o jogo com o Flamengo.

- Não estou promovendo rodízio. Mas desde o primeiro jogo do ano, o Richard e o Jadson estão jogando. Uma hora vai se pagar o preço. O Marcos Jr. não jogou o jogo passado para não forçar, mas com cinco minutos, sentiu. Depois, o Léo sentiu. Nós não temos grupo para fazer rodízio. Há posições, porém, em que eu fecho o olho e aquele que eu colocar estou tranquilo - garantiu.

Para o clássico desta quinta, o Flu tem ainda pendurados o lateral-esquerdo Marlon (que já ocupa a vaga do lesionado Ayrton Lucas), o zagueiro Renato Chaves e o meia Sornoza.

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade