0

Com prejuízo na Copa do Brasil, Coritiba ganha 'alívio' resolvendo pendências judiciais

Acordos em processos trabalhistas com seis atletas ex-Coxa além do Sindicato dos Atletas do Paraná liberaram cotas de TV referentes a Brasileirão e a própria Copa do Brasil

14 fev 2020
06h19
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A eliminação precoce do Coritiba na Copa do Brasil na última quarta-feira (12) diante do Manaus será bastante sentida nos cofres do clube. Porém, a diretoria do Alviverde pode considerar que conseguiu uma vitória importante fora dos gramados bem antes do confronto pela lucrativa competição nacional, mais precisamente no último dia 3 de fevereiro.

(Foto: Felipe Gabriel)
(Foto: Felipe Gabriel)
Foto: Lance!

Isso porque, segundo informação apurada pelo Futebol Latino, o Coxa estava com sete processos de ordem trabalhista (seis envolvendo ex-jogadores do clube e um do Sindicato dos Atletas Profissionais de Futebol no Estado do Paraná (SAPEPAR)) parados na justiça que levaram o time a ter as cotas de TV bloqueadas.

Contudo, após os acordos serem devidamente "costurados" junto a Anderson Aquino, Cleiton, Demerson, Germano, Keirrison e Marcos Paulo, a quantia de valor não revelado foi liberada.

Os valores antes penhorados se referem às transmissões do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil, valores esses pagos pelas empresas do Grupo Globo, da Globosat, do Esporte interativo além da quantia paga pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

- Havíamos conseguido na justiça o bloqueio de quotas de TV do clube para garantir o pagamento das ações. Após algumas semanas de negociações chegamos aos acordos que foram benéficos para ambas as partes - disse Dyego Tavares, advogado trabalhista e representante tanto dos atletas como também do sindicato na causa.

O acordo entre o Coritiba e as partes foi fechado com o total a ser pago de R$ 5,3 milhões de reais. O pagamento será feito com uma entrada e o parcelamento do saldo restante de 12 a 24 meses conforme cada caso em especial.

Vale destacar que os processos trabalhistas em execução tratam-se de acordos judiciais que foram descumpridos no ano de 2019, quando o clube estava na
Série B.

Confira abaixo os valores e a respectiva forma de pagamento

Anderson Aquino - R$ 2.000.000,00 (22 parcelas)
Cleiton - R$ 366.966,00 (18 parcelas)
Demerson - R$ 299.595,00 (pagamento à vista)
Germano - R$ 278.000,00 (12 parcelas)
Keirrison - R$ 1.994.000,00 (24 parcelas)
Marcos Paulo - R$ 257.000,00 (12 parcelas)
SAPEPAR - R$ 150.922,00 (18 parcelas)

Veja também:

Veja imagens do espetacular novo CT do Liverpool
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade