0

Casagrande detona "sequestro político" de uniforme do Brasil

Para ex-jogador, Amarelinha foi tomada por movimentos antidemocráticos

19 ago 2020
13h30
atualizado às 14h10
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O ex-jogador Walter Casagrande compartilhou um vídeo, nesta terça-feira, onde critica o "uso político por grupos antidemocráticos" da camisa amarela da Seleção. No Instagram, o ídolo corintiano ressaltou seu orgulho em ter vestido o uniforme brasileiro e pediu para que o símbolo, antes próximo de valores como justiça e democracia, fosse liberto dos "preconceituosos".

Para ex-jogador Walter Caasagrande, grupos antidemocráticos "sequestraram" camisa da Seleção (Reprodução/ Instagram Casagrande)
Para ex-jogador Walter Caasagrande, grupos antidemocráticos "sequestraram" camisa da Seleção (Reprodução/ Instagram Casagrande)
Foto: LANCE!
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

#camisaamarela

Uma publicação compartilhada por Walter Casagrande Júnior (@wcasagrandejr) em

"Hoje eu quero falar do orgulho que eu tenho de ter vestido a camisa amarela da Seleção Brasileira. Principalmente essa aqui, a número 8. Foi a que eu usei na Copa do Mundo de 1986, no México. A camisa amarela sempre esteve ao lado da democracia, da justiça e da liberdade. Há uns quatro anos, ela foi "sequestrada" por grupos antidemocráticos, racistas, homofóbicos e preconceituosos — ela nunca esteve nessa posição".

No vídeo (assista acima), Casão, que atua atualmente como comentarista esportivo no Grupo Globo, exemplificou movimentos por direitos sociais ocorridos nas décadas de 1980 e 1990 para destacar os valores mencionados.

"Em 1984, no movimento das Diretas Já, predominava a camisa amarela nos comícios. Em 1992, o Collor pediu para as pessoas saírem de amarelo, a favor do governo. Ao invés disso, foram os caras pintadas que saíram, vestidos de preto, mas com faixas amarelas pintadas no rosto, para se referir à bandeira brasileira e à camisa amarela. Ele pediram o impeachment do Collor - e conseguiram".

Casagrande disse fazer parte do movimento de pessoas que lutam pela "libertação" do símbolo que foi sequestrado. O ex-atacante vestiu a amarelinha algumas vezes, e participou do grupo convocado na Copa do Mundo 1986. À época, ele jogava no Corinthians.

Veja também:

A novela continua! Após desistir de espanhol, Palmeiras segue em busca de novo técnico
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade