0

Ajuda no gol do título e 'sorte grande': Marcos Jr conta histórias do tetra pelo Fluminense

Partida contra o Palmeiras, que deu o título do Campeonato Brasileiro ao Flu em 2012, será reprisada neste domingo, pela TV Globo, às 16h

30 mai 2020
06h04
atualizado às 06h04
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O tetracampeonato brasileiro do Fluminense em 2012 foi marcante em vários sentidos, com histórias como a artilharia de Fred, a afirmação de Abel Braga, entre outros. Mas aquela campanha é inesquecível para um jogador em especial: o atacante Marcos Júnior. Em menos de 48 horas, ele, cria de Xerém, estreou pela equipe principal em uma partida da Taça Rio, precisou de um minuto para marcar um gol e acabou inscrito pelo treinador na Libertadores. Vinte e quatro jogos depois, substituiu Wellington Nem no jogo do título, contra o Palmeiras, pela 35ª rodada.

Marcos Júnior com a camisa do Fluminense em 2012 (Foto: Nelson Perez / Fluminense F.C)
Marcos Júnior com a camisa do Fluminense em 2012 (Foto: Nelson Perez / Fluminense F.C)
Foto: Lance!

Junto aos tricolores, o atacante poderá relembrar a vitória contra a equipe paulista por 3 a 2 neste domingo, em reprise da TV Globo às 16h. Ele precisou entrar no segundo tempo do jogo após lesão de Nem. O Flu sofreu dois gols depois disso, mas Fred acabou marcando o da vitória nos minutos finais.

- O jogo contra o Palmeiras foi único. Como tinha acabado de subir, ainda era imaturo e com pouca experiência. Lembro que quando fui chamado para entrar, dei tudo de mim e tentei cumprir muitas funções. Querendo correr muito e voltando para marcar. Acabei cansando mais rápido do que deveria (risos). Mas, felizmente, tudo deu certo e saímos com o título. Me lembro até que consegui ajudar no último gol. Na hora do passe do Jean, consegui puxar a marcação no primeiro pau, para a bola chegar até o Fred. Fiquei muito feliz - afirmou o jogador em entrevista ao LANCE!.
Marcos Júnior ficou no clube até 2018, mas antes de sair ainda foi o herói do último título conquistado pelo Fluminense, a Primeira Liga, em 2016. O poder de ser decisivo já começou em 2012 mesmo, quando ele encarou o Botafogo na final do Campeonato Carioca e marcou o quarto gol da goleada por 4 a 1 no primeiro jogo, que acabou culminando no título do Carioca.

Na campanha do tetra, o jogo que ficou marcado na carreira do atacante foi o primeiro como titular, contra o Corinthians, no Pacaembu, uma vitória por 1 a 0 do tricolor. Depois daquilo, apesar das 24 partidas disputadas, ele só começou jogando em outras três oportunidades. Marcos Júnior marcou três gols naquela temporada.

- Tive uma sorte muito grande. Não é todo jogador que tem essa oportunidade. Acabar de subir da base, ganhar experiência, ter contato com tantos jogadores de grande técnica ajudar o time e ainda ser campeão brasileiro? Foi muito mais do que eu imaginava. Com certeza, o jogo que mais ficou marcado foi a partida contra o Corinthians, no Pacaembu. Vencemos por 1 a 0. Nesse jogo, tive a oportunidade de começar como titular. Muitos jogadores considerados reservas atuaram e fizemos um bom jogo - relembrou.

Aquele time contava com nomes como o goleiro Diego Cavalieri, os zagueiros Gum e Leandro Euzébio, o volante Diguinho, os meias Deco e Thiago Neves e os atacantes Wellington Nem e Fred. O torcedor do Fluminense poderá relembrar a conquista neste domingo, às 16h, na Globo.

Veja também:

Editor do L! analisa vitória do Fla sobre o Flu no primeiro duelo da decisão carioca
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade