PUBLICIDADE

'Enfrentar o Canadá é sempre duro', alerta Érika sobre decisão nas quartas

Retrospecto contra as adversárias é bom: foram duas vitórias e dois empates

29 jul 2021 20h40
ver comentários
Publicidade

Na véspera da partida contra o Canadá, Érika, uma das veteranas e líderes da seleção brasileira feminina de futebol, disse em entrevista coletiva nesta quinta-feira que está ansiosa para disputar mais uma quartas de final de Olimpíada. Segundo ela, as adversárias têm muita qualidade e o jogo tende a ser difícil para o Brasil.

"Enfrentar o Canadá é sempre duro. Sabemos da qualidade que aquela seleção tem e individualmente elas têm jogadoras que desequilibram. Mas também sabemos da qualidade que temos do nosso lado, e é fundamental a gente acreditar no nosso trabalho", disse a zagueira.

Desde que a técnica sueca Pia Sundhage assumiu o Brasil, em 2019, houve quatro jogos contra o Canadá. O retrospecto é bom: foram duas vitórias e dois empates.

De outro ângulo em relação à experiência de Érika em Olimpíadas, a atacante Giovana, de 18 anos, estreou pela seleção na vitória contra a Zâmbia diz que bateu o nervosismo quando Pia a chamou para entrar em campo.

"Estou muito feliz. Jamais imaginei estar aqui aos 18 anos, e aproveitei bastante a oportunidade de estar em campo. A Pia me chamou e eu rapidinho fui aquecer (risos). Voltei, estava muito ansiosa e nervosa mas, assim que entrei em campo, fiquei bem", afirmou ela, que joga pelo Barcelona, e que pode ser uma das opções da técnica no jogo contra as americanas.

Brasil e Canadá decidem a vaga na semifinal da Olimpíada de Tóquio, nesta sexta-feira, às 5 h (de Brasília), no estádio de Miyagi, em Miyagi.

Estadão
Publicidade
Publicidade