4 eventos ao vivo

Nível de dificuldade no Salto aumenta a cada disputa

A cada dia de disputa o circuito fica mais difícil, exigindo ainda mais habilidades técnicas do conjunto

17 ago 2016
14h00
  • separator
Obstáculo na prova de salto
Obstáculo na prova de salto
Foto: Reprodução/Instagram

Quem acompanha as provas de salto do hipismo nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro não fica surpreso apenas com o bom desempenho dos atletas e seus cavalos. O circuito das provas do Complexo Esportivo de Deodoro, sob responsabilidade do course designer brasileiro Guilherme Jorge, é um espetáculo à parte.

Inspirado nas belezas do Brasil, os obstáculos criados pelo brasileiro parecem obras de arte e reproduzem pontos turísticos icônicos, como o Pelourinho e Elevador Lacerda, em Salvador, e Escadaria Selarón, no Rio de Janeiro.

Mas não se engane: a beleza do circuito não deve ofuscar a concentração dos atletas. A cada dia de disputa o trajeto fica mais difícil, exigindo ainda mais habilidades técnicas do conjunto. Conforme os obstáculos ficam mais altos e largos, o desafio em busca do ouro olímpico aumenta. 

O Brasil, liderado por Doda Miranda, Eduardo Menezes e Pedro Veniss, encerrou as disputas em equipe da modalidade Salto na quinta posição, com 13 penalidades. O ouro ficou com a França, com apenas três penalidades, e a prata com os Estados Unidos, que cometeu cinco.

O trio brasileiro ainda tem chance de conquistar uma medalha olímpica nas provas individuais, que ocorrem na próxima sexta-feira. 

Veja também:

Confira a repercussão da morte de Maradona na Argentina e pelo mundo
Fonte: Terra
publicidade