PUBLICIDADE

Canadense e eslovena recebem prêmio dos Jogos de Vancouver

27 fev 2010 19h14
Publicidade

A patinadora canadense Joannie Rochette e a esquiadora eslovena Petra Majdic foram escolhidas neste sábado para receber o Prêmio Terry Fox, pela determinação e caráter demonstradas durante os Jogos de Inverno de Vancouver.

O prêmio, criado pelo Comitê Organizador dos Jogos de Vancouver (Vanoc) e pela família Fox no final de 2009, é uma homenagem ao atleta e ativista Terry Fox, que no início da década de 1980, com uma prótese em substituição à perna direita, amputada, realizou a Maratona da Esperança para arrecadar fundos para o combate do câncer.

Em Vancouver, Joannie Rochette competiu na patinação artística poucos dias após a morte da mãe. Além disso, a atleta ficou com o bronze, conquistando uma medalha para o Canadá na patinação depois de 22 anos.

"Joannie tocou a todos nós esta semana com sua determinação para competir nos Jogos, mesmo quando ela lutava com a dolorosa perda repentina de sua mãe, Therese. Quando ela competiu, vimos uma notável performance", disse John Furlong, presidente do Vanoc.

Já Petra Majdic sofreu uma forte queda em uma curva acentuada durante um treino e chegou a ser levada a um hospital. Sem ter quebrado nenhum osso, a eslovena insistiu em competir e conquistou o bronze no esqui cross country sprint clássico, a primeira medalha de um esquiador de seu país.

"Petra mostrou coragem de verdade quando continuou a competir mesmo após ter sofrido uma lesão durante um treinamento. Atuou com dor, pois sabia que seu país e sua família estavam contando com ela para conquistar a primeira medalha da Eslovênia nos Jogos", disse Furlong.

"Estas duas mulheres servem de inspiração para todos nós e nos deram performances inesquecíveis no Jogos Olímpicos de Inverno 2010", continuou Furlong.

Quem foi Terry Fox

O canadense Terry Fox teve sua perna direita amputada aos 18 anos após ter sido diagnosticado com câncer ósseo. Sem se entregar à doença, ele decidiu atravessar o Canadá correndo, com o objetivo de arrecadar fundos para o combate do câncer.

Após percorrer 5.373 km durante 143 dias consecutivos, Terry Fox foi obrigado a interromper a Maratona da Esperança, já que o câncer tomou conta de seu pulmão. Ele morreu em 28 de junho de 1981, um mês antes de completar 23 anos. Estima-se que sua iniciativa tenha arrecadado US$ 500 milhões para pesquisas sobre o tratamento do câncer.

Estrela da patinação "trapaceia" na final dos 500m:
Fonte: Terra
Publicidade