0

Jadson André exalta amigo Gabriel Medina antes de duelo em Fernando de Noronha

Apesar do carinho que sente pelo paulista, surfista sabe que na hora da disputa tudo isso fica de lado

23 fev 2019
18h22
  • separator
  • 0
  • comentários

Jadson André e Gabriel Medina se reencontraram em Fernando de Noronha pela primeira vez desde que o atleta de Maresias foi bicampeão mundial de surfe. Jadson fez questão de dar um abraço e parabenizar o amigo, entre uma bateria e outra do Oi Hang Loose Pro Contest, etapa da divisão de acesso do Circuito Mundial, e quis o destino que os dois se enfrentassem pelas quartas de final da competição.

"Foi a primeira vez depois do título mundial que vi ele. Dei um abração nele e falei que muita gente gosta dele. Perguntei se ele tem noção do que representa. Fui para o interior do Rio Grande do Norte e ninguém sabe quem sou eu, mas todo mundo conhece ele. Ficou até emocionado, pois é um moleque de coração mole", disse Jadson.

Apesar de o carinho que sente por Medina, o surfista sabe que na hora da disputa tudo isso fica de lado. "Quando a gente entra dentro da água ali a história muda. É unanimidade o talento do Gabriel, todos falam que é um fenômeno. Os resultados mostram isso. Me amarro em assistir ao Gabriel, mas ao mesmo tempo é um cara que gosto de competir contra, gosto de enfrentá-lo", afirma

Jadson sabe que será um duelo complicado contra o principal expoente da nova geração de surfistas do País e que costuma se dar bem em todo tipo de onda. "Já venci algumas vezes e quando estamos na água as chances são iguais e todos sabem o que se deve fazer para vencer o outro", comenta o atleta.

Ele voltou à elite do surfe neste ano e está aproveitando o QS 6.000 de Noronha para se afiar antes do início do Circuito Mundial. Ele sabe que a Brazilian Storm, apelido dado para essa geração de surfistas nacionais, vem quebrando barreiras e encantando com um surfe moderno e ousado.

"Já ajudei bastante o lado psicológico e também tático do Italo Ferreira, que é o mais próximo de mim de todos eles, e hoje em dia aprendo com essa molecada, pois eles chegaram arrasando na elite. O Gabriel, em poucos anos, já foi duas vezes campeão, o Italo foi top 10 na estreia e ganhou três etapas no ano passado, o Filipinho cedo ou tarde será campeão do mundo, e já que tenho essa oportunidade de estar próximo deles. São meus adversários, mas somos amigos também", avisa.

A chamada para o último dia de competição no Oi Hang Loose Pro Contest será neste domingo, às 8h (7h no horário de Brasília), quando serão disputadas quatro baterias das quartas de final (Gabriel Medina x Jadson André, Adin Masencamp x Cam Richards, Yago Dora x Reo Inaba e Aritz Aranburu x Italo Ferreira), as duas semifinais e a decisão da etapa da divisão de acesso.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade