1 evento ao vivo

Líder da Geral diz que nunca viu racismo na torcida gremista

3 set 2014
10h35
atualizado às 12h55
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Um dos líderes da torcida organizada Geral do Grêmio, Rodrigo Rysdyk, prestou depoimento à polícia nesta quarta-feira em Porto Alegre sobre as injúrias raciais cometidas contra o goleiro Aranha, do Santos. Ao deixar a delegacia, Alemão, como é conhecido, afirmou que nunca viu atitudes racistas da torcida em jogos do Grêmio, mas não quis dar maiores declarações sobre o teor de seu depoimento. Outras duas pessoas identificadas nas imagens serão ouvidas ainda nesta quarta.

Segundo o inspetor Lindomar Souza Alemão, o líder falou por cerca de uma hora e reconheceu algumas pessoas que aparecem nas imagens fornecidas pelo Grêmio. “Ele colaborou com as investigações, disse que estava lá, mas que não participa disso (atos de injúria)”, disse o policial.

“Ele disse que as músicas (de teor racista) são cantadas pela torcida há 20 anos e que estas músicas não têm conotação racista”, afirmou Souza. No depoimento, Alemão afirmou que conhece algumas pessoas que aparecem nas imagens, mas disse que conhece alguns apenas de vista não tem relações mais próximas com esses indivíduos.

Ainda de acordo com a polícia, as imagens não mostram Alemão gritando ofensas racistas contra Aranha durante o jogo. Ele disse ainda que não viu ninguém xingando o goleiro.

O depoimento de Patrícia Moreira da Silva, que aparece em imagens de TV ofendendo o goleiro Aranha, está programado para acontecer na quinta-feira pela manhã. Segundo seu advogado, Alexandre Atanázio Rossato, ela deve dar uma declaração pública sobre o que aconteceu após falar com a polícia.

Segundo o inspetor, estão sendo chamadas pessoas identificadas pelas imagens ou por testemunhas, mas ainda não é possível dizer se mais pessoas poderiam ser intimadas para prestar novos depoimentos.

Gremista suspeito nega ato de racismo contra goleiro Aranha

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade