PUBLICIDADE
Logo do

Grêmio

Meu time

Grêmio ameaça não jogar se duelo com Flamengo tiver torcida

Clube gaúcho entende que haverá grande desvantagem do time em confronto da Copa do Brasil se torcedores rubro-negros puderem ir ao Maracanã

8 set 2021 14h10
| atualizado às 14h44
ver comentários
Publicidade

A possível presença de torcida no Maracanã para o jogo entre Flamengo e Grêmio, no próximo dia 15, pelas quartas de final da Copa do Brasil, incomodou o clube gaúcho, que começa a chacoalhar os bastidores do futebol nacional ao comentar o assunto.

Grêmio foi massacrado pelo Flamengo no primeiro duelo das quartas de final da Copa do Brasil (Divulgação/Flamengo)
Grêmio foi massacrado pelo Flamengo no primeiro duelo das quartas de final da Copa do Brasil (Divulgação/Flamengo)
Foto: Lance!

Irritado com a possível "vantagem" do Flamengo neste duelo de volta do mata-mata da competição, já que na partida de ida não houve liberação para a entrada de torcedores em Porto Alegre, Nestor Hein, diretor jurídico gremista, informou à Rádio Guaíba que, caso tenha rubro-negros nas arquibancadas do Maracanã, a equipe tricolor não entrará em campo.

"Por um sistema de equidade e por decisão do regramento da CBF, se foi sem torcida o primeiro (jogo das quartas de final) é sem torcida o segundo. Se o Flamengo insistir mesmo com medida judicial determinando que ele pode ingressar com torcida, nós não jogaremos", afirmou Nestor.

O vice-presidente de futebol do Grêmio, Marcos Hermmann, também entrou neste tema e resolveu dar a sua opinião. "O que vale para um, tem de valer para o outro, seja na Copa do Brasil, seja no Brasileirão. Senão tem desequilíbrio técnico", disse o dirigente à Rádio Guaíba.

No primeiro duelo das quartas de final, sem poder contar com a presença dos seus torcedores nas arquibancadas, o Grêmio foi goleado por 4 a 0 em sua arena em Porto Alegre. Com isso, precisaria conquistar uma improvável goleada por 5 a 0 no confronto do próximo dia 15, às 21h30, no Rio de Janeiro, para avançar às semifinais da Copa do Brasil.

As manifestações dos dirigentes gremistas ocorreram depois de a prefeitura do Rio de Janeiro anunciar que vai liberar a presença de milhares de torcedores no estádio em partidas do Flamengo a partir da semana que vem, apesar da pandemia de covid-19 e da disseminação da variante Delta do coronavírus, mais contagiosa, na cidade.

Esses confrontos estão sendo tratados como eventos-teste pela gestão do prefeito Eduardo Paes (PSD), sendo que neste duelo entre flamenguistas e gremistas, no próximo dia 15, 25 mil pessoas poderão comparecer ao Maracanã, o que hoje é equivalente a 35% da capacidade do estádio.

Lance!
Publicidade
Publicidade