PUBLICIDADE
Logo do

Grêmio Barueri

Meu time

Sem receber valor pedido, time do Barueri esboça novo W.O.

21 ago 2014
19h12 atualizado às 19h20
0comentários
19h12 atualizado às 19h20
Publicidade

Em grave crise financeira, o Grêmio Barueri pode ser protagonista de um novo W.O. no Campeonato Brasileiro da Série D. Sem somar nenhum ponto no Grupo 6, a equipe tem um duelo marcado nesta sexta-feira, às 19 horas (de Brasília), diante do Tombense-MG, na Arena. Entretanto, o compromisso possui grande possibilidade de não ocorrer.

Para defenderem o clube paulista diante dos mineiros, os jogadores exigiram do presidente português Alberto Ferrari o pagamento de - pelo menos - 50% dos atrasados, que envolvem quatro meses de direitos de imagem e duas mensalidades salariais. O montante total da dívida equivale a R$ 268 mil.

Todavia, a quantia de R$ 134 mil não foi disponibilizada por Ferrari. Treinando normalmente desde o início da semana, o elenco esperava ter o valor acertado na última quarta-feira, mas o que receberam após as atividades não chega nem a 30% do salário individual.

Neste contexto instável, o advogado do Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado de São Paulo (Sapesp), Thiago Rino, garantiu que os atletas não entrarão em campo. "Se o presidente não cumprir o acordo, haverá desistência. Não tem volta. O que é certo, é certo. E eles seguem respaldados", sintetizou o jurista, que recordou a lei nº 9.615, de 24 de Março de 1998, responsável por garantir ao atleta profissional a recusa de campeonatos enquanto seus salários - no todo ou em parte - estiverem atrasados em dois ou mais meses.

Entretanto, quando questionado sobre uma possível exclusão do Campeonato Brasileiro da Série D, aliado à suspensão temporária de competições profissionais, Rino se mostrou cauteloso e não consolidou nenhum prognóstico. "É uma questão que precisa ser estudada e vamos analisá-la minuciosamente nos próximos dias. Nosso primeiro julgamento não possui data marcada e sabemos que uma nova desistência pode acarretar danos maiores", encerrou.

Exclusivo: Técnico do Sport projeta futuro e defende Gareca:

Caso semelhante - No início da Segunda Divisão, a Portuguesa foi ameaçada de exclusão pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), após abandonar o compromisso contra o Joinville, em Santa Catarina, por causa de uma liminar apresentada pela diretoria rubro-verde. Entretanto, em julgamento, a Lusa acabou mantida na competição, onde figura na zona de rebaixamento.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade