1 evento ao vivo

Daiane dos Santos volta à ginástica com "blindagem" e título

3 jul 2010
15h45
atualizado às 18h20

A manhã deste sábado foi especial para a gaúcha Daiane dos Santos. Na sua volta às competições, após longo período afastada devido a três cirurgias no joelho e uma suspensão por doping, a atleta competiu em diversas modalidades no Campeonato Paulista de ginástica e conquistou uma medalha de ouro. O que poderia ser apenas mais uma competição marcava, na verdade, o recomeço da principal ginasta do país, que não competia desde agosto de 2008, quando voltou sem medalhas das Olimpíadas de Pequim.

Após passar por fase difícil na carreira, Daiane dos Santos conquista uma medalha no Campeonato Paulista de ginástica
Após passar por fase difícil na carreira, Daiane dos Santos conquista uma medalha no Campeonato Paulista de ginástica
Foto: Djalma Vassão / Gazeta Press

E, em uma competição com baixo nível técnico, Daiane não teve o menor problema para se impor. Recuperada dos problemas físicos que a atormentaram em suas últimas competições, ela voltou a fazer os quatro aparelhos (solo, salto, barras paralelas e trave) após seis anos, garantindo o título por equipes junto com o Pinheiros e conquistando o ouro na categoria individual geral.

A despeito de algumas falhas, como uma queda na trave e outra nas barras, Daiane somou 50,50 pontos, contra 47,70 da segunda colocada, Naiara dos Santos. Outra "dos Santos" sem parentesco, Joseane foi a terceira, com 47,50. Na manhã deste domingo, a campeã mundial no solo em 2003 volta ao tablado para disputar as finais individuais de todos os aparelhos.

Os turbulentos meses vividos por Daiane desde Pequim-2008 fizeram com que a diretoria do Pinheiros, em conjunto com a comissão técnica, optassem pela "blindagem". Apesar da expectativa e das câmeras de TV, entrevistas com a ginasta só estão liberadas após o fim do Paulista, "para ela não perder o foco".

Neste sábado, apenas uma declaração foi distribuída via assessoria de imprensa. "O resultado foi positivo para mim e para a equipe. Depois de dois anos sem competir, foi bom, mas poderia ser melhor. Foi importante voltar a competir em casa. Eu estava tranquila com o apoio da torcida do Pinheiros. Amanhã, a expectativa é maior, mas acredito que vou manter este nível", afirmou.

Treinador de Daiane no Pinheiros, o argentino Raimundo Blanco justificou a proteção. "Ela estava há dois anos sem competir e havia um monte de expectativa sobre a volta dela. Tudo isso pesa na questão psicológica do ginasta, na equipe, no treinador. Tem que sair do foco para estar dentro do que é preciso fazer. O ginasta não pode estar preocupado com outras coisas. O resto é resto", argumentou.

Segundo Blanco, a ginasta estava tranquila antes da volta. "Ela ficou muito mais ansiosa até umas duas semanas atrás porque ainda estava no processo de desenvolvimento", relatou o treinador. "O que eu não quero é criar distração. Tem que ver o lado o humano: se ela errar, quem é que sofre? Minha função como treinador é proteger. Trata-se uma situação atípica, pois ela está recomeçando. E deu certo, né?", brincou.

 

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

publicidade