0

"Ganhei minha Copa do Mundo", diz ex-técnico da Tailândia

Brasileiro é quem mais dirigiu a seleção do país

11 jul 2018
11h30
  • separator
  • comentários

O brasileiro Carlos Roberto de Carvalho é o técnico de futebol que mais vezes dirigiu a seleção da Tailândia: três ao todo. Ex-jogador do Botafogo nos anos 60 e 70, ele também comandou três equipes daquele país. Por causa dessa relação próxima com os tailandeses, com os quais fez vários amigos, Carlos Roberto viveu dias de angústia até a tarde dessa terça (10), quando terminou a operação de resgate dos 12 meninos e do técnico de futebol deles que ficaram isolados numa caverna por duas semanas, no norte da Tailândia.

“Ganhei minha Copa do Mundo”, disse Carlos Roberto, em entrevista ao Terra. Agora como empresário de jogador, ele contou que não conseguiu “curtir” como queria a Copa da Rússia pela TV devido ao drama dos tailandeses.

O ex-técnico da Tailândia e ex-jogador do Botafogo Carlos Roberto
O ex-técnico da Tailândia e ex-jogador do Botafogo Carlos Roberto
Foto: Wstoledo / Creative Commons/Wikimedia

“No futebol um vence, outro perde, e a vida segue. Ali, naquela Copa da Caverna, o que estava em jogo era a vida de 12 crianças e de um jovem. Eu fazia minhas orações diárias primeiro para que eles fossem encontrados e, depois, para que voltassem pra casa em segurança. Trocava mensagens a todo instante com meus amigos de lá e ficava sabendo das notícias bem antes de serem divulgadas aqui no Brasil.”

O então jovem Carlos Roberto é o último de pé à direita, na foto do time do Botafogo de 1968
O então jovem Carlos Roberto é o último de pé à direita, na foto do time do Botafogo de 1968
Foto: Arquivo / Estadão Conteúdo

Carlos Roberto conhece bem a região onde fica a caverna da Tham Luang, mas nunca a explorou. “Tenho fobia a lugares fechados.” O ex-técnico presenciou chuvas torrenciais nos arredores do local do incidente, com inundações, exatamente nesse período do ano. “São aguaceiros de uma, duas horas, e enche tudo.”

Com o status de primeiro brasileiro a trabalhar no futebol da Tailândia (em 122º lugar no ranking da Fifa), Carlos Roberto esteve no país pela última vez no ano passado e deve voltar para lá até 2019. Não descarta a possibilidade de um encontro com os 12 meninos que jogam por um time amador, o Wild Boars (Javalis Selvagens).

“Os tailandeses são apaixonados pelo futebol brasileiro e, se puder, vou dar um abraço neles.”

De suas passagens pela seleção e clubes da Tailândia de 1989 a 2013, Carlos Roberto coleciona alguns títulos e boas lembranças dos habitantes do país. “Eles estão sempre com um sorriso no rosto, uma música na ponta da língua e uma piada pronta. São muito receptivos e agora viveram esse drama, que comoveu o país inteiro. Fiquei aliviado com o resgate e só lamento que um mergulhador tenha perdido a vida na operação dentro da caverna.”

Veja também

 

Fonte: Silvio Alves Barsetti

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade