0

Quando a bola parou de rolar: Museu do Futebol elenca principais interrupções de campeonatos

26 mar 2020
14h50
  • separator
  • 0
  • comentários

A pandemia do novo coronavírus causou um grande transtorno mundial, gerando impactos em diversos setores das sociedades espalhadas pelo globo. O futebol não ficou fora disso, e sofreu com a paralisação e o adiamento de competições mundo afora.

Mas essa não foi a primeira vez que a prática do esporte foi suspensa: guerras e epidemias, locais ou globais, já provocaram interrupções abruptas em campeonatos de vários países. A equipe do Centro de Referência do Futebol Brasileiro, do Museu do Futebol, pesquisou essas histórias de quando a bola parou de rolar.

O Paulistano montou em sua sede um hospital temporário

Na história futebolística nacional, a pior crise foi decorrente da gripe espanhola de 1918. A doença matou 50 milhões de pessoas ao redor do mundo, sendo 35 mil só no Rio de Janeiro, cuja população total à época era de pouco mais de 900 mil.

A Liga Metropolitana de Sports Athléticos suspendeu o campeonato carioca por 56 dias, retomando-o no começo de dezembro. O Fluminense foi o vencedor, mas não houve comemoração nas Laranjeiras. Uma das vítimas fatais da gripe espanhola foi o inglês Archibald French, atacante tricolor e campeão póstumo. Com o título nas mãos, o time sequer foi ao último jogo. Além do luto, metade da equipe estava doente.

O Campeonato Paulista de 1918 foi interrompido no dia 20 de outubro, faltando menos de uma hora para o início das partidas. Agentes sanitários invadiram os campos de futebol por toda cidade para impedir a realização dos jogos e esvaziar os estádios, uma maneira de impedir as aglomerações que facilitavam o contágio.

Durante a crise, o C.A. Paulistano e o Palestra Itália transformaram suas sedes em hospitais, atendendo as vítimas da gripe, além de, após a epidemia, terem doado todos os móveis e utensílios à Superintendência dos Hospitais Provisórios.

A Associação Paulista de Sports Athleticos (APEA) deu sequência à competição em dezembro com os jogos sendo disputados em dois tempos de 35 minutos (o normal eram 40) e só os times que tinham chance de título voltaram a campo. O C.A. Paulistano garantiu o título em 19 de janeiro com uma goleada de 7 a 0 sobre a A.A. das Palmeiras.

A gripe espanhola ainda provocou o adiamento da primeira edição do campeonato gaúcho e a paralisação do campeonato pernambucano.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade