PUBLICIDADE

Zago vê técnicos do Brasil ultrapassados e questiona Bernard

12 ago 2014 17h26
| atualizado às 17h36
ver comentários
Publicidade
Bernard não se reapresenta ao Shakhtar desde o fim da Copa do Mundo
Bernard não se reapresenta ao Shakhtar desde o fim da Copa do Mundo
Foto: Robert Cianflone / Getty Images

Auxiliar-técnico do romeno Mircea Lucescu no Shakhtar Donetsk, o brasileiro Antônio Carlos Zago questionou nesta terça-feira o jovem Bernard, que teria "desaparecido" há três meses do time ucraniano, segundo o treinador. Em entrevista ao Terra, o ex-zagueiro, que no Brasil chegou a dirigir o Audax-SP, lembrou outros brasileiros que se reapresentaram às equipes após disputar a Copa e ainda criticou os treinadores nacionais no geral.

A situação de Bernard foi escancarada na manhã desta terça-feira, quando Lucescu disparou críticos ao brasileiro. O romeno alegou que o ex-atleticano sumiu do time ucraniano há três meses, sendo que a Copa do Mundo já acabou faz um mês, e chamou o atleta de “jogador de Twitter” pela pouca integração com os companheiros. Pouco depois, o garoto respondeu as críticas e ironizou o técnico, afirmando ainda estar em folga pós-Mundial.

No entanto, diversos jogadores que participaram da Copa do Mundo de 2014 já se apresentaram aos respectivos clubes, casos, por exemplo, de Neymar e David Luiz, este último que inclusive estreou pelo PSG em amistoso na última segunda. Os atletas que jogam no Brasil, como Jô e Fred, também disputam o Brasileiro normalmente. Zago lembrou o fato para questionar Bernard.

“Por aquilo que acompanhei, os outros jogadores que já serviram a Seleção Brasileira já se apresentaram aos seus clubes, então mais por causa disso que o treinador deu essa declaração. Não sei se todos os jogadores se apresentaram, mas se todos se apresentaram deveria se apresentar também. Não sei se dentro da lei tem algum paragrafo, alguma coisa que diz que jogador depois da Copa tem que ter 30 dias de férias”, contou ao Terra.

Enquanto aguarda Bernard, Antônio Carlos continua seu processo de aprendizado na Europa, onde, ele mesmo diz, há cursos profissionalizantes para treinadores de futebol. O auxiliar do Shakhtar lembra este fato para questionar o nível atual dos treinadores brasileiros, fato colocado em xeque após a Copa do Mundo. Zago recorda ainda a presença de argentinos, uruguaios e chilenos na Europa, onde há quase nenhum técnico nacional.

“Estamos sim um pouco atrasados em relação ao futebol europeu, argentino, em relação aos treinadores chilenos também. Na Europa, tem treinadores argentinos, chilenos, uruguaios. Não tem um brasileiro em uma grande equipe da Europa. Os argentinos passaram na nossa frente em relação à maneira que se conduz o futebol. O futebol argentino tem uma maior compactação da equipe em campo, no Brasil a gente vê muitos treinadores jogando em cima da habilidade, técnica dos grandes jogadores, coisas que estão cada vez mais escassas e isso acaba prejudicando”, criticou.

Veja os principais tópicos da conversa do Terra com Antônio Carlos Zago:

Falta na reapresentação de brasileiros

“Tentaram tirar proveito de uma situação que querem generalizar. Campeonato nós estamos jogando normalmente, as pessoas estão vivendo normalmente. Esses jogadores foram mal informados daquilo que poderia acontecer com eles no futuro. Eles pensaram que iriam pegar o passe e jogar em outro clube de graça. Isso não aconteceu, acabaram voltando, e praticamente já estão treinando.

Por aquilo que a gente ouviu foi isso (influência de empresários), foi um grande mal entendido, falta de informação de várias pessoas porque acabou com ausência de cinco jogadores, mas isso já foi resolvido e estão treinando.”

Possível influência na busca por brasileiros por confusão

“Acho importante sempre cumprir com suas obrigações. Abre portas para outros brasileiros, não só para o Shakhtar como para outros times aqui na Ucrânia. O Metalist tem, o Dnipro tem, o Dynamo tem, o mercado sempre gostou de jogadores brasileiros, Aconteceu isso aí e acaba prejudicando o mercado futuro, mas o jogador brasileiro não só na Ucrânia como em qualquer lugar da Europa. tem que cumprir com suas obrigações.”

Atletas do Shakhtar na Seleção renovada de Dunga

“O Fred (meio-campista ex-Inter) na minha opinião é um jogador que tranquilamente vai ser titular na Olimpíada, por aquilo que apresentou aqui ano passado, principalmente em jogos importantes da Champions e da Liga Europa. Tem o Douglas (Costa, meio-campista), o Luiz Adriano (atacante), que foi artilheiro aqui ano passado e vem passando por uma excelente fase da sua carreira, está no ápice agora com 26 anos. São jogadores que devem ter sua oportunidade e têm tudo para dar certo na Seleção Brasileira. Foram muito bem ano passado.”

Possível nova revelação brasileira no Shakhtar?

“Esse ano nós estamos vivendo uma situação diferente dos outros anos, pela própria situação política que atravessa o país. Não houve grandes contratações e a meu modo de ver não vai chegar nenhuma grande contratação até o fim da janela da Europa. Sempre tem jogadores que o clube está de olho, mas é melhor preservar até para o futuro.”

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade