PUBLICIDADE

Futebol Internacional

Técnico da Colômbia releva ideia de favoritismo na Copa América

Néstor Lorenzo entende que prioridade é se concentrar em objetivos no curto prazo

24 jun 2024 - 16h30
Compartilhar
Exibir comentários
Seleção de Néstor Lorenzo nutre invencibilidade de 23 jogos –
Seleção de Néstor Lorenzo nutre invencibilidade de 23 jogos –
Foto: Ben Stansall/AFP via Getty Images / Jogada10

Diante da larga sequência recente de invenciblidade e as boas apresentações no período, a Colômbia é vista como uma das forças a serem batidas na atual edição da Copa América. Porém, nada que traga qualquer sentimento diferenciado para o treinador Néstor Lorenzo.

Para o comandante argentino, mesmo estando empolgados com o bom momento, a ideia é se concentrar no trabalho diário e superar gradualmente os desafios. Assim, com o objetivo constante de evoluir na competição e também já mirando as Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2026:

"Não é que não estejamos empolgados, estamos. Mas fato é que o favorito quase nunca vence, o que querem é tirar o foco… Não vamos ficar em cima disso. Vamos, jogo a jogo, bola a bola, é assim que se ganha. Além do fato de termos nos saído bem, isso não nos garante nada para amanhã (hoje). O aspecto mental é um compromisso interno de almejar algo, mas não algo pra já. A Copa (América) é importante, mas o processo continua. A Copa do Mundo, as Eliminatórias, o compromisso é crescer a cada dia. É assim que se trabalha em um longo processo."

Seleção de Néstor Lorenzo nutre invencibilidade de 23 jogos - Foto: Ben Stansall/AFP via Getty Images

Identidade

Nesta segunda-feira (24), a Colômbia estreia na Copa América contra o Paraguai, às 19h (de Brasília), no NRG Stadium. Dessa forma, Lorenzo reforçou que não planeja qualquer mudança no estilo de jogo que se baseia na posse de bola e alto volume ofensivo:

"A ideia e o estilo, desde que chegamos aqui, são os mesmos: tentar propor, ser protagonistas. Apesar do fato de que, às vezes, o adversário não deixa ou há 'minijogos'. Esperemos que estejamos à altura da tarefa de nos transformarmos. Se sermos uma equipe versátil que possa, quando não estivermos dominando, estar no jogo. Não vou dizer onde vou pressionar, não é segredo, é preciso ver os jogos. A questão é tentar jogar bem. Tentar se recuperar em determinados setores quando não tiver e, quando tiver, distribuir bem e tentar fazer gols. É assim que dizemos, simples. Depende da qualidade do adversário."

Treinador argentino dirige a Colômbia desde 2022 - Foto: Roberto Schmidt/AFP via Getty Images

Siga o Jogada10 nas redes sociais: Twitter, Instagram e Facebook.

Jogada10
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade