PUBLICIDADE

Presidente da Uefa reprova Superliga e faz ameaça

Aleksander Ceferin diz que conta com apoio da Fifa para proibir atletas de disputarem jogos com as suas seleções caso participem do torneio

19 abr 2021
11h05 atualizado às 11h13
0comentários
11h05 atualizado às 11h13
Publicidade

Aleksander Ceferin, presidente da Uefa, se pronunciou de forma contrária à criação da Superliga europeia nessa segunda-feira. Além disso, Cerefin adotou medidas severas aos jogadores que participarão da competição, afirmando que quem jogar a Superliga não poderá mais jogar pela sua seleção nacional.

Presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, chega para entrevista coletiva em Stara Pazova, na Sérvia
3103/2017 REUTERS/Antonio Bronic
Presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, chega para entrevista coletiva em Stara Pazova, na Sérvia 3103/2017 REUTERS/Antonio Bronic
Foto: Reuters

"Todos os jogadores que participarem dessa competição não poderão representar a seleção. Todas as confederações estão de acordo com isso", referiu Ceferin. "A classificação para as competições europeias deve teve como base o mérito e que todos possam competir contra todos. Todos estamos contra este movimento", completou.

O presidente aproveitou para falar do novo formato da Liga dos Campeões, que pode ocorrer a partir de 2024. "Preparámos uma Liga dos Campeões moderna e atrativa, na qual todos podem participar e ganhar", apontou.

Milan, Arsenal, Atlético de Madrid, Chelsea, Barcelona, Internazionale, Juventus, Liverpool, Manchester City, Manchester United, Real Madrid e Tottenham são os clubes fixos da Superliga. Perguntado se a Liga dos Campeões poderia acontecer sem esses times, Ceferin afirma: "Poderia sim. Na Europa há muitos times, e bons. A Champions continuará com ou sem eles".

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade