1 evento ao vivo
Logo do Liga dos Campeões
Foto: Terra

Liga dos Campeões

Cristiano Ronaldo e Juventus desafiam concorrentes na Liga dos Campeões

Transferência do atacante português cinco vezes vencedor da Bola de Ouro pode acabar com hegemonia do Real Madrid na competição europeia

18 set 2018
05h12
atualizado às 05h12
  • separator
  • 0
  • comentários

Depois de três títulos consecutivos do Real Madrid, a expectativa é que a edição da Liga dos Campeões, que começa nesta terça-feira, apresente um reposicionamento das forças entre os principais clubes da Europa. Ganham peso na luta pela taça mais cobiçada da Europa times como Paris Saint-Germain, Atlético de Madrid e Juventus, por exemplo.

A Juventus confia em Cristiano Ronaldo, que deixou o Real Madrid após nove anos. Sua transferência de clube e país mexeu com o futebol da região. O cinco vezes vencedor da Bola de Ouro foi contratado pelo time de Turim por ¤ 100 milhões (R$ 450 milhões) aos 33 anos. Após jejum de três rodadas sem gols no Campeonato Italiano, o craque português balançou as redes duas vezes no último fim de semana, contra o modesto Sassuolo, e chega empolgado para a Liga dos Campeões, principal objetivo da equipe no ano.

Se a Juventus sonha alto com Cristiano Ronaldo, o Real Madrid ainda busca uma identidade sem o jogador. Ele fará muita falta. O atacante galês Gareth Bale admitiu que a equipe espanhola trabalha agora mais como uma unidade coletiva desde a saída do craque. "Talvez seja um pouco mais relaxado agora - jogar sem Cristiano Ronaldo", comentou Bale ao jornal inglês Daily Mail. "Acho que somos mais como um time, trabalhamos mais como uma unidade, em vez de (ter) um jogador só".

CR7, maior artilheiro da história do Real Madrid, foi crucial para os três triunfos consecutivos do clube na Liga dos Campeões sob o comando do técnico Zinedine Zidane, mas foi Bale que marcou dois gols na vitória de 3 a 1 sobre o Liverpool, de Salah, na final de maio em Kiev.

Também na Espanha, o Atlético de Madrid espera conquistar o seu primeiro título e aposta alto em Antoine Griezmann para acabar com o jejum. O atacante francês, campeão da Copa do Mundo da Rússia, vive seu melhor momento na carreira. "Está claro que sou um jogador diferente de Cristiano, Messi, Neymar ou Mbappé. Estou no mais alto nível, mas posso melhorar. Busco ser o mais completo possível, não vou meter cinquenta gols, mas posso ajudar ofensivamente e trabalhar para o meu time no torneio", comentou em entrevista publicada pelo jornal AS, da Espanha, na segunda-feira. O Atlético se junta aos rivais nacionais Real e Barcelona, de Messi e Coutinho, como candidatos ao título no continente.

Mas eles não estão mais sozinhos. Liderado por Neymar, o Paris Saint-Germain conta com uma legião de craques para conquistar a tão sonhada Liga e, enfim, entrar na lista dos grandes da Europa. Além do brasileiro, a equipe francesa aposta em outros talentos do elenco, como Mbappé, Di María, Cavani, Thiago Silva, Draxler e Verratti.

A mudança mais significativa do PSG, porém, está no banco. O técnico alemão Thomas Tuchel foi contratado para substituir Unai Emery, criticado por não ter pulso para comandar um elenco com tantas estrelas.

Outro time milionário que sonha com sua primeira conquista do torneio é o Manchester City. O técnico Pep Guardiola persegue a taça desde sua saída do Barcelona, em 2012, e não quer adiar a conquista por mais uma temporada. Tanto é assim que ele, mesmo após a vitória sobre o Fulham por 3 a 0, no último sábado, pelo Campeonato Inglês, não ficou satisfeito com o rendimento da equipe e, de acordo com o jornal inglês The Sun, suspendeu a folga de domingo para revisar os erros de campo junto aos jogadores. Guardiola fez um trabalho para explicar exatamente onde os atletas "pisaram na bola". A Liga dos Campeões terá 70 brasileiros em ação e, desta vez, não será transmitida na TV aberta.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade