PUBLICIDADE

Messi, Neymar e Mbappé lembram 'Quadrilha', de Drummond

O PSG se encheu de craques e virou um tititi danado, uma guerra de vaidades

28 set 2021 11h17
| atualizado às 11h23
ver comentários
Publicidade

Neymar idolatra Messi, que não ama o técnico Maurício Pochettino, que gosta de Mbappé, que está contrariado com Neymar. Uma adaptação do poema 'Quadrilha', de Carlos Drummond de Andrade, encaixa-se no momento atual do PSG. Lá, uma guerra de vaidades começa a ganhar corpo, ameaçando o alto investimento do clube no futebol.

Mbappé e Neymar andam estremecidos no PSG
Mbappé e Neymar andam estremecidos no PSG
Foto: Reprodução/@psg.fr

O poema famoso de Drummond, publicado em 1930, começa assim: “João amava Teresa que amava Raimundo que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili que não amava ninguém”. Aborda as dificuldades e os desencontros da relação amorosa, a solidão que impede o estreitamento de laços, etc.

No PSG, Mbappé já protestou contra um suposto boicote de Neymar, que o estaria ignorando em campo. Enquanto se derrete em declarações pró-Messi, o jogador brasileiro vai se afastando do colega mais jovem.

Já Messi, ao ser substituído em partida contra o Lyon, duas semanas atrás, recusou o aperto de mãos de Pochettino, que tentou em vão cumprimentá-lo. As câmeras flagraram o incidente e a expressão fechada do craque argentino.

Há quem aposte no sucesso do PSG com o trio de ouro. Essa é a percepção de muita gente. Há também quem considere um risco para o clube juntar tanta vaidade na Cidade Luz.

Papo de Arena Todo o conteúdo (textos, ilustrações, áudios, fotos, gráficos, arquivos etc.) deste blog é de responsabilidade do blogueiro que o assina. A responsabilidade por todos os conteúdos aqui publicados, bem como pela obtenção de todas as autorizações e licenças necessárias, é exclusiva do blogueiro. 
Publicidade
Publicidade