PUBLICIDADE

Campeonato Paulista

Patrocínio Logo do patrocinador

Palmeiras x Corinthians na Arena Barueri: relembre única vez que dérbi aconteceu no estádio

Sem Allianz Parque, em meio a polêmica com WTorre, time de Abel Ferreira manda o clássico a quase 30 km da capital paulista

18 fev 2024 - 11h10
(atualizado às 11h22)
Compartilhar
Exibir comentários
Clássico entre Palmeiras e Corinthians
Clássico entre Palmeiras e Corinthians
Foto: Marcello Zambrana / Gazeta Press

O Palmeiras recebe o Corinthians, neste domingo, dia 18, às 18h, pela nona rodada do Campeonato Paulista. Apesar de ser mandante, não haverá movimento no Allianz Parque. Sem jogar no estádio desde 28 de janeiro, quando derrotou o Santos, o clube alviverde optou por mandar jogos na Arena Barueri, a 29 km de São Paulo. O motivo é a insatisfação com o gramado do seu estádio, o que transbordou para uma briga com a empresa WTorre, administradora da arena, também por repasses financeiros.

O dérbi aconteceu apenas uma vez na Arena Barueri. Foi em 23 de abril de 2022, em jogo válido pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. O 3 a 0 aplicado pelo Palmeiras no rival foi a primeira vitória do Palmeiras no Brasileirão, título que ficou com o clube naquele ano. Os gols foram marcados foi Gustavo Gómez, Rony e Dudu.

Do trio, apenas o último não estará à disposição de Abel Ferreira neste domingo. O atacante se recupera de uma cirurgia no joelho e, aos poucos, retoma os treinamentos. Do lado do Corinthians, as semelhanças são mínimas. O time era comandado por Vítor Pereira. Na equipe titular atualmente, apenas Cássio e Maycon são remanescentes.

O Palmeiras vinha de uma derrota e um empate, enquanto o Corinthians estava 100%. Depois do clássico, os comandados de Vítor Pereira voltaram a vencer e ainda conseguiram assumir a liderança, mas viram o rival engrenar na campanha, encostar e tomar o posto cinco rodadas depois. O Palmeiras foi campeão com 81 pontos em 2022. O Corinthians foi quarto colocado, com 65.

Clássico em Barueri teve público pouco maior que metade da capacidade do Allianz

O dérbi aconteceu no Allianz Parque apenas uma vez em 2023. Foi pelo Brasileirão, também com vitória alviverde, desta vez, por 2 a 1. Foram recebidos 41.257 torcedores para assistir aos gols de Murilo, Rapahel Veiga e Piquerez (contra). A realidade em Barueri é outra.

No único clássico que aconteceu por lá, em 2022, o público foi de 23.970 torcedores. A quantia é pouco mais que meio Allianz Parque cheio. Neste domingo, há uma expectativa de superar essa marca. Até sexta-feira, dia 16, pela manhã, o Palmeiras já tinha a parcial de 24 mil ingressos vendidos. A capacidade total é de 31.452 pessoas.

O estádio é gerenciado pela Crefipar, empresa de Leila Pereira, presidente do clube alviverde, ligada à Crefisa e a FAM, que venceu liminar e vai administrar o local pelos próximos 35 anos. O local foi utilizado no final do Campeonato Brasileiro de 2023, quando o Allianz recebeu uma maratona de apresentações internacionais.

Entenda a polêmica briga entre Palmeiras e WTorre/Real Arenas

O clube informou que não jogaria mais no Allianz Parque até a resolução do problema com o gramado, logo após a partida contra o Santos. Poucos dias depois, a Federação Paulista de Futebol (FPF) interditou o estádio para o Estadual. O Palmeiras já havia comunicado à Soccer Grass sobre a piora da qualidade dos campos do Allianz Parque.

O clube entendeu que houve demora nas ações de reparo, o que causou prejuízo e levou o time para atuar longe de casa. Abel Ferreira, técnico da equipe, nunca escondeu a insatisfação com o campo, especialmente após shows realizados na Arena, como quando miçangas ficaram espalhadas pela grama depois dos shows da cantora Taylor Swift, em novembro do ano passado. Na sexta-feira, fotos que mostram a troca do gramado foram vazadas nas redes sociais. A WTorre disse que o procedimento começou ainda na semana anterior. Não há prazo para a finalização desta etapa.

Fora de campo, há outras brigas do Palmeiras com a WTorre. O clube aponta que são devidos R$ 160 milhões pela empresa por repasses de ganhos com o Allianz Parque. Os valores são correspondentes ao mês de maio de 2015 e todos os meses a partir de julho de 2015 até agora. Na época em que a presidente do Palmeiras, Leila Pereira, apontou o valor ainda de R$ 150 milhões, a construtora reconheceu o débito, mas contestou o valor que está sendo cobrado.

Agora, a Real Arenas/WTorre afirma não ter sido notificada oficialmente sobre a cobrança de R$ 160 milhões. Em junho de 2023, a Justiça de São Paulo já suspendeu uma execução solicitada pelo Palmeiras contra a WTorre, também cobrando uma quantia milionária.

Novos negócios da WTorre com clubes paulistas

Outros dois clubes grandes de São Paulo têm negócios recentes com a empresa. O Santos tem acordo para a WTorre construir um novo estádio na Vila Belmiro. O projeto estava em fase final de aprovação. Já o São Paulo assinou uma reforma e modernização do MorumBis, prevista para ser finalizada em 2030.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade