PUBLICIDADE

"Maradona não teve recaída", diz médico sobre drogas

12 jul 2010 23h05
| atualizado às 23h23
Publicidade

O treinador da seleção argentina, Diego Maradona, ainda trata de se recompor do duro golpe que significou a eliminação da Argentina da Copa do Mundo da África do Sul. Apesar do baque, ele não voltou a usar drogas, afirmou seu médico particular, Alfredo Cahe, nesta segunda-feira.

"Diego não está bem, porque a partida com a Alemanha (derrota por 4 a 0) foi algo difícil, mas ele está se recompondo. O vejo pensativo, chateado, porque a vitória escapou", disse o médico, que o atende há décadas, em entrevista à rádio La Red.

A seleção argentina foi eliminada ao perder para a Alemanha por 4 a 0, nas quartas de final da Copa, e desde que o plantel retornou ao país, no dia 4, Maradona permanece recluso em sua casa, em Ezeiza (subúrbio de Buenos Aires), sem decidir sobre sua continuidade no cargo.

Maradona "não teve uma recaída no consumo de drogas", disse Cahe, acrescentando que acreditava que o técnico estaria "em piores condições".

"Diego teve uma melancolia natural, mas não voltou ao vício. Isso que dizem é uma barbaridade. Ele já estava fazendo tratamento. Verónica Ojeda (namorada) colocou sua vida à disposição de Diego nos últimos cinco anos, e isso foi muito importante", afirmou o médico.

De qualquer maneira, Cahe reconheceu que dadas as características do paciente, é obrigado a ficar atento "especialmente pelo choque emocional".

"Diego vai nos dar mais alegrias. Eu vejo seu temperamento, sua forma de pensar e o que está vendo no futebol", acrescentou.

O médico esteve com Maradona no domingo e eles viram juntos a vitória da Espanha sobre a Holanda, na final da Copa. Cahe afirmou que no encontro "não se falou sobre sua continuidade" à frente da seleção.

O dirigente da Associação de Futebol Argentino (AFA), Julio Grondona, adiantou que a decisão de seguir no cargo será do treinador.

Anos atrás, Maradona admitiu seu vício em drogas, que acabou levando o ex-jogador a várias crises e o colocou à beira da morte, em 2004, quando sofreu um sério problema cardiorrespiratório e teve de se submeter a um tratamento de recuperação.

No começo de 2007, sofreu de hepatite aguda causada pelo alcoolismo, vício que diz já estar recuperado.

Maradona ainda sofre com eliminação para Alemanha
Maradona ainda sofre com eliminação para Alemanha
Foto: Reuters
AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
Publicidade