PUBLICIDADE

Neymar erra pênalti, mas Santos abre boa vantagem contra o Vitória

28 jul 2010 23h51
| atualizado em 29/7/2010 às 01h49
Publicidade

Jogando na Vila Belmiro, o Santos desperdiçou diversas oportunidades de gol, mas conseguiu uma boa vantagem ao fazer 2 a 0, contra o Vitória, no jogo de ida da final da Copa do Brasil, nesta quarta-feira. O quarteto santista convocado pelo técnico Mano Menezes (Robinho, Ganso, André e Neymar) teve atuação abaixo da esperado, pecando pela displicência em muitos lances.

Neymar, aos 30min, perdeu pênalti com "cavadinha" e manchou sua atuação, que poderia ficar marcada por um gol de peito no primeiro tempo. O outro gol santista foi marcado de falta, por Marquinhos, logo após a sua entrada no segundo tempo, substituindo o apagado Paulo Henrique Ganso.

O Vitória, postado defensivamente, não ameaçou o gol adversário em nenhum momento, nem mesmo quando conseguiu manter alguma posse de bola, por cerca de quinze minutos no final da etapa inicial. No jogo de volta, na próxima quarta-feira, o time do técnico Ricardo Silva precisa vencer por 3 a 0 para levar o título sem a necessidade de pênaltis. Caso o Santos marque no Barradão, os baianos serão obrigados a vencer com vantagem de três gols.

O jogo

Conforme o esperado, o Vitória iniciou a partida apenas se defendendo, enquanto o Santos mantinha a posse de bola e ensaiava tabelas. O time paulista, no entanto, tinha dificuldades para finalizar as jogadas, que eram interrompidas pela firme marcação baiana. Nos dez minutos iniciais, dois jogadores do clube rubro-negro já tinham sido punidos com cartões: Schwenck, que está suspenso para o jogo de volta após receber amarelo em choque com Durval, e Anderson Martins, que derrubou Neymar na entrada da área.

Na cobrança da infração cometida pelo zagueiro do Vitória, aos 11min, Paulo Henrique Ganso chutou com categoria e atingiu a trave direita de Lee. O susto dava mostra de que a retranca armada pelo treinador Ricardo Silva não suportaria o toque de bola santista por muito tempo.

Na sequência, aos 14min, o Santos abriu o placar: em cruzamento de Pará pela direita, André se atirou, mas não conseguiu desviar. No segundo pau, Neymar, livre, marcou de peito, com o goleiro Lee já batido.

Ainda acuado, o time visitante foi forçado a promover a sua primeira substituição já aos 23min da primeira etapa. O ex-santista Bida substituiu o lateral direito Rafael Cruz, que torceu o pé sozinho e não aguentou continuar em campo.

Por cerca de quinze minutos, até o final da etapa incial, os baianos reagiram e conseguiram equilibrar as ações. Neto Coruja organizava as jogadas no meio, mas o time pecava nas conclusões. Aos 31min, Bida recebeu pelo meia direita e desperdiçou o bom posicionamento com um um chute fraco.

Aos 37min, em bela jogada, Robinho deixou três marcadores pata trás e tocou para Neymar, que cruzou muito alto na área. André não alcançou. No minuto seguinte, o atacante, já vendido para o Dínamo de Kiev (Ucrânia), teve outra chance, mas bateu pra fora após dominar dentro da área.

Já no intervalo, a torcida santista cantava na Vila Belmiro. A segunda etapa começou com uma neblina, provocada pelos s sinalizadores da festa nas arquibancadas, e mais uma série de gols perdidos pelo time do técnico Dorival Júnior.

Aos 4min, Robinho chutou da entrada da área e a bola passou perto da trave. Aos 5min, Neymar, livre na segunda trave, finalizou mal após cruzamento de Wesley. Aos 7min, foi a vez de André Cruzar e Ganso, livre, chegar atrasado, desviando apenas para fora.

O Santos exagerava no preciosismo e era displicente em algumas finalizações. Na incrível sequência de gols perdidos, destaque para lance de Neymar, que, aos 21min, cara a cara com o goleiro Lee, com o ângulo direito aberto, acertou a furquilha. O bandeirinha já marcava impedimento.

O camisa 11 teve a chance de se redimir aos 30min, mas conseguiu ir ainda pior em cobrança de pênalti cometido por Wallace. Tentando fazer uma "cavadinha", Neymar chutou em cima do goleiro do time baiano, que parado, no meio do gol, não teve problemas para fazer a defesa.

Aos 35min, Dorival Júnior, que já tinha trocado André por Marcel, ousou ao substituir Robinho e Ganso por Zé Eduardo e Marquinhos. As mudanças surtiram efeito e, aos 38min, o próprio Marquinhos, de falta, ampliou a vantagem do clube alvinegro.

Já nos acréscimos, aos 46min, o Santos teve tudo para fazer seu terceiro gol. Após passe de Marquinhos, Zé Eduardo chutou em cima de Lee, que saiu bem do gol.

FICHA TÉCNICA

Santos 2 x 0 Vitória

Gols
Santos:

Neymar, aos 14 min do primeiro tempo; Marquinhos, aos 38 min do segundo tempo.

Ponto Forte do Santos
Momentos de bom toque de bola e o predomínio no jogo lembrou as grandes goleadas do primeiro semestre.

Ponto Forte do Vitória
Reserva do suspenso Viáfara, o goleiro Lee não comprometeu e realizou boas defesas.

Ponto Fraco do Santos
Excesso de preciosismo nas conclusões.

Ponto Fraco do Vitória
Postura excessivamente defensiva e problemas de ligação com os atacantes Elkeson e Schwenk, que praticamente não foram acionados no jogo.

Personagem do jogo
Marquinhos: o meia saiu do banco para marcar o segundo gol, que tranquilizou o Santos para o jogo de volta no Barradão.

Esquema Tático do Santos
4-3-3
Rafael; Pará, Bruno Aguiar, Durval e Alex Sandro; Arouca, Wesley e Paulo Henrique Ganso (Marquinhos); Neymar, Robinho (Zé Eduardo) e André (Marcel)
Técnico: Dorival Júnior

Esquema Tático do Vitória
4-4-2
Lee; Rafael Cruz (Bida), Anderson Martins, Wallace e Egídio; Neto, Vânderson, Fernando (Gabriel) e Ramon (Renato); Elkeson e Schwenck
Técnico: Ricardo Silva

Cartões amarelos
Santos: Pará, Bruno Aguiar e Zé Eduardo
Vitória: Schwenck, Anderson Martins, Ramon e Vânderson

Árbitro
Leonardo Gaciba (RS)

Local
Vila Belmiro, em Santos (SP)

Público: 14.060 pagantes

Renda: R$ 1.151.380,00



Jogadores do Santos comemoram gol de Neymar, no primeiro tempo
Jogadores do Santos comemoram gol de Neymar, no primeiro tempo
Foto: Sérgio Barzaghi / Gazeta Press
Fonte: Terra
Publicidade