PUBLICIDADE

Jovem mira Ronaldo, supera 10 mil rivais e vira artilheiro

18 out 2012 07h01
Publicidade

O que é preciso para se destacar dentre mais de 10 mil jovens divididos em 528 equipes? No caso de Leonardo Gomes dos Santos, artilheiro da fase regional da Copa Coca-Cola com 10 gols, a reposta é superação. E ele busca inspiração em um dos maiores exemplos do esporte neste quesito, o fenômeno Ronaldo.

Leonardo marcou dez gols e foi o artilheiro isolado da fase regional da Copa Coca-Cola
Leonardo marcou dez gols e foi o artilheiro isolado da fase regional da Copa Coca-Cola
Foto: Divulgação



A principal mostra disso foi dada na semifinal da competição de Belém, quando sua equipe, o Tabosão, enfrentou o Atletas do Futuro. Para chegar no horário do jogo, marcado para as 9h30, Leonardo saiu da Ilha do Mosqueiro, que fica a 70 km da capital do Pará, às 6h. Sem se alimentar direito, o jovem passou mal minutos antes da partida, mas pediu para ir para o jogo.



"A gente estava perdendo por 1 a 0 e eu aproveitei uma falha do zagueiro para empatar de carrinho. Depois, matei uma bola no peito, tirei do goleiro e fiz o gol da virada", diz cheio de orgulho.



Ao final da competição, ficou sabendo por um mesário que ele era o jogador que mais balançou as redes em todo o país, e custou a acreditar. "Eu me dedico bastante porque jogar futebol é o meu sonho. Meu maior ídolo é o Ronaldo, que sempre foi artilheiro e é um exemplo de superação para mim", diz.



Apesar da facilidade em marcar gols, Leonardo afirma que jamais fez nenhum treino específico para isso, é puro talento. E tem mais, ele nem mesmo jogava no ataque. Até o início da competição, atuava no meio de campo, mas como já tinha muitos jogadores por ali, o técnico pediu para ele ficar adiantado.



"O Leonardo é um garoto muito esforçado, e tem o estilo do antigo ponta esquerda. Gosta de entrar pelo meio em diagonal, é muito bom na finalização e tem sangue frio", destaca o treinador André Tabosa.



Futebol ofensivo

A equipe do Tabosão foi formada após a realização de uma peneira para o Corinthians, da qual participaram 700 jovens e apenas oito foram selecionados. A esses se juntaram outros destaques que não foram aprovados. O time realizou três treinos, um jogo-treino, e estreou na competição.



"Ninguém se conhecia e não haveria tempo para fazer nenhum trabalho de fundamento, então resolvemos nos focar em encontrar um posicionamento para a equipe dentro de campo", afirma André.



Ele disse que o sucesso só foi possível porque nessa idade os jovens absorvem os comandos rapidamente. E como a equipe não teve tempo para treinar jogadas coletivas, as coisas acabaram saindo na base da improvisação e do talento. Agora, para a etapa nacional, a ideia é apostar em um esquema ainda mais ofensivo.



"Vamos investir no 3-4-3 para atuar com sete jogadores no campo de ataque. Podemos tomar um, mas vamos fazer três pois temos jogadores de qualidade", diz confiante.



Quer saber mais sobre a Copa Coca-Cola?

Então, clique aqui

e confira

Fonte: PrimaPagina
Publicidade