PUBLICIDADE

Finalista da Copa Coca-Cola elogia apoio ao futebol feminino

13 nov 2012 07h12
| atualizado às 07h16
Publicidade

A falta de apoio ao futebol feminino no Brasil é um assunto recorrente, tanto é que as principais jogadoras, caso de Marta, por exemplo, atuam em times estrangeiros, por conta da pouca quantidade de equipes profissionais no nosso país.

Aliança vence nos pênaltis e estará nas finais no Rio de Janeiro, nos dias 23 e 24 de novembro
Aliança vence nos pênaltis e estará nas finais no Rio de Janeiro, nos dias 23 e 24 de novembro
Foto: Léo Barrilari / PrimaPagina



Técnico do Aliança FC, representante de Brasília na semifinal da Copa Coca-Cola, Luiz Cesar vivencia o futebol há quase 30 anos. Para ele, a iniciativa da Coca-Cola de oferecer oportunidade a garotas de até 15 anos para praticar o esporte é louvável.



"Na nossa escolinha, em Goiânia, trabalhamos com 100 meninas, que não pagam nada. Se não se transformarem em uma grande atleta, que tenham um grande caráter. Mexo com o futebol desde 1983 e é incomparável esse trabalho da Coca-Cola. É uma contribuição para o futebol feminino, acho difícil até a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) fazer coisa melhor, mais organizada. A Copa Coca-Cola está anos-luz à frente", opina o treinador.



Essa é a segunda vez que o Aliança participa da Copa Coca-Cola. Apesar de a escolinha estar localizada em Goiânia, a equipe entra como convidada para disputar a primeira fase em Brasília. As meninas comandadas por Luiz Cesar conquistaram o título da etapa local, depois de uma vitória por 4 a 2 sobre o Olimpiaflu, em 26 de agosto.



Surgiu então a oportunidade de viajar para São Paulo, onde o Aliança triunfou duas vezes, no primeiro final de semana de novembro. A vaga na semifinal foi obtida nos pênaltis, após um empate por 0 a 0 com a Escola Furacão2.



A próxima viagem será para o Rio de Janeiro, onde serão disputadas as finais, nos dias 23 e 24. "Sou próximo ao presidente da Federação Goiana e vou falar para ele entrar em contato com a CBF, para alguém deles assistir às finais. Digo isso não só pelas meninas do Aliança, mas também pelos outros times, porque tem muito talento aparecendo. A seleção brasileira pode aproveitar essas meninas da Coca-Cola, é uma oportunidade de renovar", afirma Luiz Cesar.



O ataque tem sido o ponto forte do representante de Brasília - logo na estreia, uma goleada por 20 a 0 sobre o Sesi Sobradinho. Lorena e Lorraynne, além de terem nomes parecidos, estão na briga pela artilharia da competição, com oito gols cada. Logo abaixo aparece Karolaine, com sete.



Quer saber mais sobre a Copa Coca-Cola?

Então, clique aqui

e confira

Fonte: PrimaPagina
Publicidade