PUBLICIDADE

Conheça único atleta a marcar três gols em uma final de Copa

2 nov 2012 07h32
Publicidade

Ele pode não figurar na lista dos maiores nomes da história do futebol, ao lado de Pelé, Garrincha, Maradona e Beckenbauer. Mas nenhum destes atletas conseguiu igualar um feito seu: marcar três gols em uma mesma final de Copa do Mundo. Conheça um pouco da trajetória de Geoff Hurst, que saiu da condição de mera alternativa no banco de reservas para conduzir os inventores do futebol ao seu único título mundial no esporte.

Atacante inglês foi autor do gol mais polêmico da história das Copas
Atacante inglês foi autor do gol mais polêmico da história das Copas
Foto: Getty Images



Apesar de integrar as categorias de base do West Ham, ele dividia suas atenções com as partidas de críquete até 1964, quando decidiu se dedicar inteiramente ao futebol. Inicialmente, o jogador atuava pelo meio de campo, mas logo foi deslocado para o ataque, e exercendo esta função ajudou seu clube a ganhar a Copa da Inglaterra e a Recopa Europeia.



Porém, levaria dois anos até que ele ganhasse uma chance pela seleção da Inglaterra. E a oportunidade veio em fevereiro de 1966, poucos meses antes da Copa do Mundo sediada no país. O jogador conseguiu cavar uma vaga no elenco inglês, porém, era a terceira opção do time, atrás de Jimmy Greaves e Roger Hunt. A sorte do atacante e de seu país começaram a mudar no último jogo da primeira fase, quando Greaves se machucou e ficou fora das quartas de final.



Hurst entrou em seu lugar e, aproveitando um cruzamento da esquerda, usou a cabeça para marcar o gol da classificação diante da Argentina. Na fase semifinal, mesmo sem balançar as redes teve importante atuação na vitória por 2 a 1 sobre Portugal, que era a sensação daquele Mundial.



Porém, a maior atuação de sua carreira ainda estava por vir. Greaves, titular da posição, já estava recuperado, mas o técnico resolver apostar em Hurst contra a Alemanha Ocidental, pois o atacante vivia grande momento. E a escolha se mostrou acertada. Os germânicos saíram na frente aos 12 min, mas seis minutos depois o atacante surgiu livre na área para cabecear e deixar tudo igual.



Cada uma das equipes ainda marcou uma vez, levando o jogo para a prorrogação. Aos 11min do segundo tempo, Hurst recebeu cruzamento da direita, dominou e chutou. A bola pegou no travessão e caiu sobre a linha, mas o juiz validou o gol mais polêmico da história das Copas. Em desvantagem, os alemães se lançaram à frente. Em um contra-ataque no minuto final de partida, o camisa 10 inglês soltou a bomba de canhota para fazer história como o único homem a balançar as redes três vezes em uma final de Mundial, uma com a cabeça, uma com a perna direita e outra com a esquerda.



Após alcançar o feito inédito, Hurst seguiu no West Ham até 1972, somando 249 gols em 502 jogos. Na sequência, o artilheiro passou por Stoke City, West Bromwich e pelo futebol norte-americano, no Seattle Sounders. Ele ainda tentou seguir carreira como treinador, e sua passagem mais marcante foi pelo Chelsea no início dos anos 1980. Hoje ele é diretor de futebol do braço esportivo de uma cadeia de lanchonetes.



Quer saber mais sobre a Copa Coca-Cola?

Então, clique aqui

e confira

Fonte: PrimaPagina
Publicidade