PUBLICIDADE

Brasil de 1982 deu show de futebol arte, mas ficou sem Copa

19 nov 2012 09h23
| atualizado às 09h39
Publicidade

Valdir Peres, Leandro, Oscar, Luizinho, Júnior, Toninho Cerezo, Falcão, Sócrates, Éder, Zico e Serginho Chulapa. Técnico Telê Santana. Essa é, para muitos torcedores mais antigos, a escalação da seleção brasileira que mais encantou em uma Copa do Mundo. Entretanto, não venceu.

Contra a Itália, Zico, o principal craque da seleção brasileira, sofreu uma marcação implacável de Gentile
Contra a Itália, Zico, o principal craque da seleção brasileira, sofreu uma marcação implacável de Gentile
Foto: Getty Images



Em 1982, o futebol arte apresentado pelo Brasil de Telê liquidou a ex-União Soviética (2 a 1), a Escócia (4 a 1) e a Nova Zelândia (4 a 0) durante a primeira fase. Na segunda, que naquela época era disputada em grupos de três equipes, Zico & Cia fizeram 3 a 1 na Argentina do jovem Maradona. Bastava um empate diante da Itália para garantir vaga na semifinal.



Foi aí que aconteceu o desastre do estádio Sarriá, em Barcelona, na Espanha. Diante de 44 mil torcedores presentes nas arquibancadas, e de outros milhões aflitos à frente da televisão, brilhou a estrela de Paolo Rossi, que abriu o placar logo aos 5 minutos do primeiro tempo.Sócrates empatou aos 12 minutos, mas Rossi colocou novamente os europeus em vantagem aos 25.



Falcão igualou o placar aos 23 minutos do segundo tempo, gol que levaria os brasileiros à fase final. Entretanto, mais uma vez Rossi apareceu na área, superou o goleiro Valdir Peres e fez 3 a 2.



Enquanto o Brasil voltava para casa decepcionado, a Itália venceu a Polônia por 2 a 0 na semi e a Alemanha Ocidental por 3 a 1 na decisão, sagrando-se tricampeã mundial.



Rossi terminou como artilheiro daquela Copa, com seis gols. O detalhe é que o algoz brasileiro anotou todos os gols nos duelos decisivos, sendo que passara em branco na fase de grupos, quando a Azurra empatou três vezes (contra Polônia, Peru e Camarões) e se classificou em segundo.



Mesmo sem o caneco, aquele time de Telê entrou para a história pelo futebol bem jogado. Serve de exemplo não só aos jogadores e treinadores atuais, mas a qualquer garoto que sonhe ser um craque e admire o futebol moleque.

Fonte: PrimaPagina
Publicidade