PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Terra no Catar

Neymar 'está dormindo na fisioterapia' para voltar à Seleção, diz Marquinhos

Zagueiro destacou que ausência de colegas será sentida, mas todos precisam saber de sua importância dentro do grupo de Tite

27 nov 2022 - 08h30
(atualizado às 10h37)
Compartilhar
Exibir comentários
Marquinhos, da Seleção Brasileira
Marquinhos, da Seleção Brasileira
Foto: REUTERS/Gareth Bumstead

A Seleção Brasileira enfrenta a Suíça pela segunda rodada da Copa do Mundo do Catar nesta segunda-feira, 28, às 13h. Tite não poderá contar com Neymar e Danilo, que estão fora da 1ª fase do torneio por causa de lesões nos tornozelos. Segundo Marquinhos, o camisa 10 está fazendo de tudo para ficar à disposição o mais rápido possível.

De acordo com o zagueiro da Seleção Brasileira, Neymar ficou triste no momento da lesão, mas já mudou a chave e está confiante que poderá voltar a jogar pela Seleção neste Mundial.

"Na hora, no momento, até digerir tudo, é uma situação delicada e difícil. No momento pós-partida eu o vi triste. Acho que é normal, por tudo aquilo que ele sonhava, a vontade que tinha, e agora estar sofrendo uma lesão. Hoje, após exames, tratamento, ele está dormindo na fisioterapia, fazendo 24 horas por dia, isso mostra o quanto ele quer estar de volta com a gente", declarou.

"Não sabemos quando, mas esperamos o mais rápido possível para ele estar bem, com saúde mental e física também. Mas hoje eu o vejo muito melhor. É importante estar com a cabeça boa no momento de uma lesão, influencia muito na recuperação. Eu vejo ele muito bem e confiante na volta dele, isso é muito bom para ajudar na questão do retorno dele. Ele está muito focado", completou.

Apesar das ausências, Marquinhos afirmou que o grupo está confiante e pretende mostrar que são 26 jogadores: "É inevitável que a gente queria ter o Neymar e o Danilo. Com certeza, em uma Copa do Mundo, o professor queria ter os 26 jogadores. Já mostramos antes e vamos mostrar que o grupo é forte e está pronto para qualquer divergência. Em uma Copa do Mundo, nem sempre o time que começa é o que vai terminar. Tem que ter essa consciência e sabedoria que todos aí tem o seu papel importante. No último jogo, nós já vimos a importância dos jogadores que entraram. Com o talento e o grupo que temos, vamos conseguir manter o nível."

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade