0

Argentina joga a vida contra a Nigéria para evitar vexame

Seleção de Messi precisa vencer e ficar de olho no jogo da Islândia contra a Croácia

25 jun 2018
20h03
atualizado em 26/6/2018 às 07h52
  • separator
  • 0
  • comentários

Vivendo uma de suas maiores crises na história, a seleção da Argentina joga a vida na Copa do Mundo de 2018 nesta terça-feira, quando mede forças com a Nigéria a partir das 15h (horário de Brasília), no Estádio Krestovsky, em São Petersburgo, na Rússia. A partida é válida pela última rodada do Grupo D, que tem como líder a Croácia, com seis pontos, já classificada e com o primeiro lugar praticamente garantido.

Messi continua sendo uma das esperanças da Argentina na Copa
Messi continua sendo uma das esperanças da Argentina na Copa
Foto: Matthew Childs / Reuters

A Argentina divide a última posição com a Islândia, que tem um gol melhor de saldo e que no mesmo horário duela com os croatas em Rostov. Os argentinos, até aqui, empataram por 1 a 1 com os islandeses e foram atropelados pela Croácia por 3 a 0. Os nigerianos, que bateram a Islândia por 2 a 0 na sexta-feira, somam três pontos e avançam com vitória ou até mesmo com empate, desde que a Islândia não apliquem uma goleada.

A situação dos hermanos é ainda mais complicada, pois o time precisa vencer por dois gols de diferença a mais em caso de um possível triunfo da Islândia. Caso os islandeses não vençam, os argentinos precisam apenas de uma vitória simples.

O maior problema da albiceleste vai ser superar a própria crise. Segundo a imprensa local, o técnico Jorge Sampaoli perdeu o poder e os próprios atletas teriam armado o time para este compromisso. O treinador, porém, não dá ouvidos e prefere manter a confiança.

"Acredito que uma nova história para esta seleção começará a ser escrita nesta Copa do Mundo a partir do jogo contra a Nigéria. Confio demais no meu grupo e acredito que vamos ganhar. Não podemos dar ouvidos a quem te considera descartável e apaga tudo por conta de um mau resultado", disse o treinador.

Messi

A Argentina vai precisar ainda do talento de Lionel Messi, muito criticado por conta das fracas atuações. Contra a Islândia, o craque chegou a perder um pênalti. Nos últimos dias o atleta vem sofrendo forte pressão na internet e da imprensa local, sendo blindado pela seleção.

A albiceleste vai mudar muito para este jogo. O goleiro Caballero, de falha grosseira contra a Croácia, foi barrado para a entrada de Franco Armani. O setor defensivo, apesar de criticado, segue o mesmo. Mas, no meio, Ángel Di María e Éver Banega retomam suas posições, dando mais experiência ao setor, e ocupando, respectivamente, os postos de Marcos Acuña e Maximiliano Meza. O artilheiro Sergio Agüero foi barrado para a enrada de Gonzalo Higuaín.

Pelo lado da Nigéria, o técnico Gernot Rohr descarta jogar pelo empate: "Vamos com o pensamento de conquistar uma vitória, mesmo respeitando demais a Argentina e seus talentosos jogadores. Espero em um jogo franco e aberto, pelo desejo de vitória de ambos", explicou o comandante.

O treinador confirmou que vai poder repetir a escalação do jogo contra a Islândia pois seu capitão, o meia John Obi Mikel, vai a campo mesmo estando com a mão esquerda fraturada. Ele jogará amparado por uma proteção no local.

Pelo regulamento da Copa do Mundo, as seleções se enfrentam dentro de seus respectivos grupos em turno único. Ao fim, as duas melhores colocadas avançam para as oitavas de final e as demais voltam para casa.

FICHA TÉCNICA

NIGÉRIA X ARGENTINA

Local: Estádio Krestovsky, em São Petersburgo (Rússia)

Data: 26 de junho de 2018, terça-feira

Horário: 15h(de Brasília)

Árbitro: Cuneyt Cakir (Turquia)

Assistentes: Bahattin Duran (Turquia) e Tarik Ongun (Turquia)

NIGÉRIA: Francis Uzoho, Leon Balogun, William Troost-Ekong e Kenneth Omeruo; Victor Moses, Wilfred Ndidi, John Obi Mikel, Oghenekaro Etebo e Brian Idowu; Ahmed Musa e Kelechi Iheanacho.

Técnico: Gernot Rohr

ARGENTINA: Franco Armani, Eduardo Salvio, Gabriel Mercado, Nicolás Otamendi e Nicolás Tagliafico; Javier Mascherano, Éver Banega, Enzo Pérez e Ángel Di María; Lionel Messi e Gonzalo Higuaín.

Técnico: Jorge Sampaoli

Veja também

 

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade