PUBLICIDADE

Bom Senso denuncia demissões após greve e cobra até Dilma

4 set 2014
20h45 atualizado às 22h05
0comentários
20h45 atualizado às 22h05
Publicidade
Jogadores do Operário se deitaram no gramado em apoio ao protesto do Barueri
Jogadores do Operário se deitaram no gramado em apoio ao protesto do Barueri
Foto: Marcos Bezerra / Futura Press

O Bom Senso voltou a se manifestar. Desta vez, a bronca foi diretamente ao Grêmio Barueri, que dispensou um grupo de atletas que seriam os "cabeças" da greve orquestrada em 15 de agosto, quando não entraram em campo contra o Operário-MT por conta da falta de pagamento a jogadores. Com o título de "o fundo do poço", o movimento criticou a atitude da diretoria da equipe paulista e cobrou o Ministério do Trabalho, o Ministério Público, a CBF e até mesmo a presidente Dilma Rousseff.

Segundo nota oficial do Bom Senso, o coordenador-técnico do Barueri, José Antônio Bressan, e o presidente do clube, Alberto Ferrari, haviam se comprometido com o elenco, afirmando que pagariam o que estava atrasado. Porém, agora a postura é outra: "eles se negam a pagar e ainda tratam o débito como normal e corriqueiro no futebol brasileiro", diz o movimento dos atletas.

Diante dessa situação, o Bom Senso disparou sobre órgãos públicos. "Como a Justiça do Trabalho pode ser tão ineficaz e lenta em ações deste tipo, onde o cidadão cobra o que lhe é devido e demora anos e mais anos para receber? Onde está o Ministério Público, que adora holofotes, mas não investiga essa gente que está liquidando o futebol brasileiro? Passou da hora de punir quem faz o errado e interfere negativamente na vida de tantos. Estes precisam pagar pelos seus atos".

Gilberto Silva sobre calendário da CBF: "estrangula os times":

A bronca do movimento sobrou até mesmo para a presidente Dilma Rousseff. "A própria Dilma disse para o Bom Senso FC: 'se meu governo deixasse de pagar três meses os funcionários, o País pararia'. O esporte ainda não parou, mas há tempos anda na contramão", frisou.

Aproveitando a proximidade das eleições presidenciais, o Bom Senso ainda cobrou os candidatos ao cargo máximo da política brasileira. "Precisamos de medidas para mudar essa realidade. Queremos atitudes do governo atual e também daqueles que postulam comandar o Brasil - o esporte é uma lacuna na proposta de quase todos os candidatos à presidência. Temos que alterar essa realidade urgentemente".

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade