PUBLICIDADE

Com sal grosso e Vila cheia, Santos bate Sport e sai do Z-4

Com gol no primeiro minuto, time do técnico Cuca teve tranquilidade para vencer os pernambucanos neste sábado

18 ago 2018 - 17h55
(atualizado às 18h31)
Ver comentários

O Santos respirou na luta para fugir da zona de rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro na tarde deste sábado (18). Recebido com sal grosso por seus torcedores na chegada à Vila Belmiro, o time do técnico Cuca teve casa cheia e bateu o Sport  por 3 a 0, após seis jogos sem vitória no torneio.

Santistas comemoram gol na vitória sobre o Sport
Santistas comemoram gol na vitória sobre o Sport
Foto: Guilherme Dionizio / Gazeta Press

Com 21 pontos ganhos, o Santos sai do Z-4, pelo menos temporariamente, e dorme na 12ª posição do torneio nacional. A equipe alvinegra ultrapassou o Sport, 15º colocado com 20 pontos. O Vitória, atual primeiro integrante da zona da degola, soma 19 pontos.

Às 21h45 (de Brasília) desta terça-feira, pelas oitavas de final da Copa Libertadores, o Santos volta a campo para enfrentar o tradicional Independiente, em Avellaneda. Já o Sport pega o América-MG pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro, às 21h de quarta, na Ilha do Retiro.

Torcedores jogam sal grosso no ônibus da delegação do Santos na chegada à Vila neste sábado (18)
Torcedores jogam sal grosso no ônibus da delegação do Santos na chegada à Vila neste sábado (18)
Foto: JOTA ERRE/Photo Premium / Gazeta Press

O Jogo

Empurrado pela torcida, o Santos conseguiu inaugurar o marcador logo no primeiro minuto da partida. Em jogada pela direita, Derlis Gonzalez levou até o fundo e cruzou. Gabigol desviou e a bola sobrou para Bryan Ruiz. Ele ajeitou e Eduardo Sasha finalizou com sucesso.

Beneficiado pela abertura do placar nos instantes iniciais da partida, o Santos quase aumentou a vantagem com Gabigol. Carlos Sanchez avançou com a bola dominada e deu bom passe para o atacante, que bateu na saída de Magrão e viu o goleiro ceder escanteio.

A última chegada consistente do primeiro tempo também foi do time mandante. Após lançamento pelo alto, Gabigol inteligentemente ajeitou de peito para Bryan Ruiz. O costarriquenho completou para o gol e Magrão desviou com a ponta dos dedos pela linha de fundo.

Gabriel tenta um chute durante duelo contra o Sport
Gabriel tenta um chute durante duelo contra o Sport
Foto: FLÁVIO HOPP / Gazeta Press

O Santos desperdiçou grande chance de marcar logo no começo da etapa complementar, quando Gabigol aproveitou falha de Ernando para deixar Sanchez na cara do gol, mas o uruguaio mandou para fora. Pouco depois, o árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva viu falta duvidosa de Rogério em Gonzalez e mostrou o cartão vermelho.

Durante o segundo tempo, o técnico Cuca lançou mão de três titulares. Após trocar o desgastado Bryan Ruiz por Diego Pituca, o treinador, já em superioridade numérica, tirou Eduardo Sasha para colocar Bruno Henrique e trocou Sanchez por Rodrygo.

Embalado pelas alterações, o Santos marcou mais dois. Aos 36 minutos, Gonzalez recebeu de Gabigol pela direita e cruzou para Rodrygo completar. Dois minutos depois, Bruno Henrique cruzou da esquerda e Sander interceptou de cabeça. Victor Ferraz aproveitou o rebote e, após desvio em Felipe Bastos, a bola terminou nas redes de Magrão.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 3 X 0 SPORT

Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)

Data: 18 de agosto de 2018 (sábado)

Horário: 16h (de Brasília)

Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva

Assistentes: Helcio Araujo Neves e Heronildo Freitas da Silva

Público: 10.991 pagantes

Renda: R$ 185.210,50

Cartões amarelos: Victor Ferraz, Derlis Gonzalez, Alison (SAN); Rogério, Claudio Winck, Morato (SPO)

Cartão vermelho: Rogério (SPO)

Gol: Eduardo Sasha, a 1 minuto do 1º Tempo, Rodrygo, aos 36 minutos do 2º Tempo, e Victor Ferraz, aos 38 minutos do 2º Tempo

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Dodô; Alison, Carlos Sánchez (Rodrygo) e Bryan Ruiz (Diego Pituca); Eduardo Sasha (Bruno Henrique), Derlis González e Gabigol

Técnico: Cuca

SPORT: Magrão; Cláudio Winck, Ronaldo Alves, Ernando e Sander; Deivid (Felipe Bastos), Ferreira (Morato) e Gabriel; Marlone, Rogério e Hernane (Carlos Henrique)

Técnico: Eduardo Baptista

Veja também

A lista dos goleiros mais caros da história:

 

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade