0

CBF faz balanço do VAR, apresenta novidade e admite ser necessário melhorar tempo

19 ago 2019
17h54
atualizado às 17h54
  • separator
  • 0
  • comentários

A Confederação Brasileira de Futebol apresentou, nesta segunda-feira, um balanço da atuação do árbitro de vídeo (VAR) no Campeonato Brasileiro. O presidente da Comissão Nacional de Arbitragem da entidade, Leonardo Gaciba, confirmou o acerto em 98% dos lances capitais revisados e divulgou uma novidade para o próximo semestre: os telespectadores terão acesso aos lances observados pelo árbitro nas transmissões no momento da revisão.

(Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

A amostra utilizada foram os 139 jogos disputados até a 14ª rodada do Brasileirão. Segundo os dados divulgados na apresentação, 87 situações de jogo foram revisadas, uma média de 0,6 por partida, enquanto 764 lances e decisões foram checados pela equipe do VAR, na cabine, em uma média de 5,5 por jogo. Diante disso, a competição teve, até agora, 851 participações do árbitro de vídeo.

De acordo com Gaciba, 77,4% dos lances capitais foram acertados sem a ajuda do VAR neste período e os árbitros erraram em apenas dez lances capitais neste ano com auxílio de VAR, contra 88 no ano passado. "Isso é uma melhora de 90%. Eu enxergo o copo meio cheio. O auxílio do VAR é indispensável hoje em dia. A reclamação dos clubes diminuiu muito", avaliou.

Ainda segundo os dados divulgados, o maior número de checagens foi a marcação ou não de gol, de 385, o que equivale a 50,4% do total de checagens. Além disso, também foram checados situações de pênalti (33,4%), aplicação de cartão vermelho (15,2%) e erro de identidade (1%). Outro número que chama a atenção é que, em 69 das 87 revisões, o árbitro mudou sua decisão depois da análise do vídeo, o que corresponde a 78% do total.

No entanto, apesar dos números a favor da implementação do VAR no Campeonato Brasileiro, Gaciba reconheceu que existe a necessidade de melhorar o tempo na tomada de decisão - a média é de 1 minuto e 54 segundos atualmente. Para ele, há o objetivo de se chegar a uma média de um minuto e 20 segundos por revisão.

A novidade fica por conta de, a partir da primeira rodada do segundo turno, os telespectadores terem acesso aos lances observados pelo árbitro nas transmissões, no momento da revisão. Essa é uma das reclamações de torcedores e clubes Brasil afora.

"Estamos estudando a possibilidade de mostrar também no estádio, pelo telão. O público terá total ciência do que o árbitro está checando no monitor. Só não fizemos isso anteriormente porque é um projeto novo, mas estamos ouvindo as críticas construtivas", finalizou.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade