PUBLICIDADE

Carpini admite incômodo com erros do São Paulo e diz entender vaias

Treinador foi hostilizado após a derrota para o Fortaleza e admitiu que sua equipe precisa evoluir bastante ainda na temporada

14 abr 2024 - 00h42
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Rubens Chiri / São Paulo FC - Legenda: São Paulo saiu derrotado para o Fortaleza no MorumBIS / Jogada10

A pressão em cima de Thiago Carpini aumentou muito após a derrota do São Paulo para o Fortaleza por 2 a 1. As equipes se enfrentaram neste sábado (13), no MorumBIS, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. Após a partida, o treinador admitiu que é difícil pedir paciência pra torcida e cobrou evolução da equipe.

É difícil neste momento pedir paciência ao torcedor do São Paulo. Em todo jogo, eles fazem uma festa linda no Morumbis, nos sentimos cada vez mais chateados por não darmos a resposta, o torcedor voltar chateado, manter o nível que tivemos em 45, 50 minutos em 80, 90 minutos para ter um resultado melhor", disse Carpini, que prosseguiu.

"Entendemos a chateação do torcedor, porque é a nossa, também. Mas o que posso dizer é que a gente segue trabalhando, com paciência, por mais que seja difícil no momento, temos de trabalhar, evoluir, ver o que temos de melhor no próximo jogo, vendo aspecto físico. A chateação do torcedor é a nossa, mas se tem um ponto positivo no momento turbulento é o torcedor são-paulino".

Carpini reclama dos erros do São Paulo na partida

Além disso, o treinador lamentou o grande número de erros da equipe durante o embate. O São Paulo fez um grande primeiro tempo, mas caiu de rendimento na etapa final e viu o Fortaleza vencer o jogo com as duas finalizações que acertaram no alvo.

"Caímos no segundo tempo, de produção e nível de concentração e atenção. No primeiro gol, tínhamos superioridade. São erros recorrentes, algo que me incomoda muito. Se incomoda o torcedor, imagina eu e os atletas, porque a gente trabalha em cima disso, colocamos vídeos para não ter os mesmos erros e acontece às vezes desta maneira. E o segundo gol é total desequilíbrio, um fator que temos de trabalhar melhor, não tem como com uma linha de três bem postada, sem sofrer no primeiro tempo, a primeira finalização do Fortaleza foi gol", disse o treinador, que seguiu.

"Não tem por que se lançar para buscar o empate de qualquer maneira. Como falo para eles, de maneira organizada, competindo. Mas tem algumas coisas que fogem do controle, o ímpeto do atleta. E não acho ruim, mostra a gana de tentar vencer pelo São Paulo. Mas precisamos de mais equilíbrio nestas situações, não podemos estar tão expostos"

Treinador é hostilizado no MorumBIS

O nome do treinador foi vaiado logo na escalação antes do jogo e piorou após o segundo gol do Fortaleza. Após o tento marcado por Machuca, os torcedores presentes no MorumBIS chamaram o técnico foi hostilizado e ouviu gritos de "burro". Os jogadores também receberam vaias após o apito final.

Assim, o São Paulo volta a campo na próxima quarta-feira (17). O Tricolor encara o Flamengo, no Maracanã, às 21h30, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Jogada10
Compartilhar
Publicidade
Publicidade