PUBLICIDADE

Arsenal busca 'missão impossível' de desbancar o Manchester City na Premier League

Manchester City e Arsenal chegam à última rodada separados por dois pontos e com time de Guardiola podendo fazer história

19 mai 2024 - 08h10
Compartilhar
Exibir comentários

Em uma das temporadas mais emocionantes da Premier League dos últimos anos, o Arsenal está a um passo de realizar o que muitos consideram uma "missão impossível": desbancar o poderoso Manchester City e conquistar o título inglês após um jejum de 20 anos. A última rodada, marcada para este domingo, 19, às 12h (Brasília) promete ser um desfecho digno de cinema, com ambos os times lutando pela glória em seus respectivos estádios.

Duelo de titãs: Arsenal x Manchester City

O confronto entre Arsenal e Manchester City vai além da disputa pelo título. É um duelo de filosofias, de gerações e de ambições. Arteta, o aprendiz, enfrenta Guardiola, o mestre, em um embate que coloca frente a frente duas das equipes mais valiosas do mundo.

O Manchester City, atual tricampeão, busca um feito inédito: o tetracampeonato consecutivo. A equipe de Guardiola, apesar de não ter apresentado o mesmo domínio das últimas temporadas, ainda é uma máquina de vencer, com um elenco repleto de estrelas e um estilo de jogo que impõe respeito. O City de Guardiola é conhecido por sua dominância e regularidade em ligas de pontos corridos, raramente perdendo jogos e conquistando títulos com frequência.

O Arsenal, por sua vez, busca quebrar um jejum de 20 anos sem conquistar o título inglês. A equipe de Arteta chega à última rodada com a confiança em alta, após uma campanha surpreendente e com a vantagem de um melhor saldo de gols em relação ao City.

A batalha tática e financeira

Em termos táticos, o Arsenal se destaca pela solidez defensiva, ostentando a melhor defesa da Premier League nesta temporada. O ataque também é potente, sendo o segundo melhor da competição. A equipe conta com jogadores talentosos como Bukayo Saka e os já citados Gabriel Martinelli e Martin Ødegaard, que têm sido fundamentais na campanha do título.

O Manchester City, por sua vez, é conhecido por seu estilo de jogo ofensivo e envolvente, com uma posse de bola dominante e uma capacidade de criar chances de gol a partir de diferentes setores do campo. A equipe de Guardiola possui um elenco recheado de estrelas, como Kevin De Bruyne, Erling Haaland e Bernardo Silva, que podem desequilibrar a partida a qualquer momento.

Essa rivalidade em campo se reflete também no poderio financeiro de ambos os clubes, que figuram entre os mais valiosos do mundo. O Manchester City lidera o ranking, com um valor estimado em 1,38 bilhão de euros (R$7,4 bilhões), seguido de perto pelo Arsenal, avaliado em 1,31 bilhão de euros (R$7 bilhões). Essa proximidade financeira é resultado de grandes investimentos, como a mudança de investidor do Arsenal em 2018, quando Alisher Usmanov, um oligarca russo, vendeu sua participação para Stan Kroenke, atual acionista majoritário do clube.

Kroenke, dono da Kroenke Sports & Entertainment (KSE), possui uma fortuna avaliada em US$16,2 bilhões (R$85,3 bilhões) pela Forbes e é considerado a 155ª pessoa mais rica do mundo. Sob sua gestão, o Arsenal tem investido em contratações de peso e melhorias na infraestrutura do clube, visando alcançar o sucesso esportivo e financeiro.

O desafio de Arteta

Mikel Arteta busca escrever seu nome na história do Arsenal. O jovem técnico espanhol tem a oportunidade de levar o clube ao topo da Premier League pela primeira vez em duas décadas. Para isso, ele precisa superar não apenas o Manchester City, mas também a pressão de um jogo decisivo e a expectativa de uma torcida sedenta por títulos.

A trajetória de Arteta no Arsenal, onde também atuou como jogador, tem sido marcada por momentos de glória e frustração. Bicampeão da Copa da Inglaterra como atleta, Arteta viu o clube amargar um quinto lugar em sua última temporada antes de pendurar as chuteiras. Como técnico, assumiu o comando em 2019, implementando um estilo de jogo baseado na posse de bola e intensidade. Apesar da conquista da Copa da Inglaterra em 2020, o Arsenal enfrentou dificuldades, com duas temporadas consecutivas em oitavo lugar na Premier League.

A frustração atingiu o ápice na temporada passada, quando o time liderou boa parte do campeonato, mas perdeu o título para o Manchester City na reta final devido a lesões e queda de desempenho. No entanto, a derrota serviu de aprendizado para Arteta, que fortaleceu o elenco e aprimorou suas táticas. A equipe se mostrou mais consistente e madura nesta temporada, superando adversidades e mantendo-se na briga pelo título até a última rodada.

O fator Guardiola

Pep Guardiola, com um currículo que inclui títulos no Barcelona, Bayern de Munique e Manchester City, é reconhecido como um dos treinadores mais influentes do futebol moderno. Sua filosofia de jogo, baseada na posse de bola, passes curtos e movimentação constante, revolucionou o esporte e inspirou diversos técnicos ao redor do mundo. O "tiki-taka", como ficou conhecido seu estilo, resultou em times dominantes e ofensivos, como o Barcelona de Messi e o atual Manchester City de Haaland e De Bruyne.

Além da filosofia de jogo marcante, Guardiola se destaca pela capacidade de adaptação tática, ajustando suas equipes para neutralizar os adversários e explorar suas fraquezas. Sua gestão de elenco, que prioriza o desenvolvimento de jovens talentos e a criação de um ambiente competitivo, também é um fator chave para seu sucesso.

A dificuldade em superar equipes comandadas por Guardiola em campeonatos de pontos corridos é notória. Sua metodologia resulta em times consistentes e eficientes, capazes de manter um alto nível de desempenho ao longo de toda a temporada. A posse de bola, característica marcante de seus times, dificulta a criação de oportunidades para os adversários, enquanto a pressão alta e a movimentação constante dos jogadores tornam a recuperação da bola uma tarefa árdua. Além disso, a versatilidade tática do técnico permite que suas equipes se adaptem a diferentes cenários e adversários, dificultando a criação de um plano de jogo eficaz para neutralizá-las.

A decisão

A última rodada da Premier League promete ser um espetáculo de futebol, com emoção e drama do início ao fim. O Manchester City (88 pontos) depende apenas de si para conquistar o tetracampeonato, contra o West Ham em casa, no Etihad Stadium. Já o Arsenal (86), que também joga em casa, no Emirates Stadium, precisa vencer o Everton e torcer para o City empatar com os Hammers.

Em caso de empate no número de pontos entre eles, o que só é possível caso o City fique na igualdade com o West Ham, o primeiro critério é o saldo de gols. E nele o Arsenal leva vantagem (61 a 60).

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade