0

Apesar da logística, paulistas encaram Florida Cup como trunfo no início do ano

De olho na visibilidade internacional e nos rivais, Corinthians e Palmeiras viajam neste final de semana

10 jan 2020
15h10
atualizado às 15h10
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Corinthians e Palmeiras viajam neste final de semana para a disputa da Florida Cup, torneio que faz parte do calendário de pré-temporada de algumas equipes brasileiras desde 2015. Apesar das dificuldades logísticas, como o tempo de deslocamento para os Estados Unidos antes da disputa do Campeonato Paulista, os dois clubes avaliam o torneio com um trunfo para o resto do ano.

A partir do dia 15 de janeiro, quarta-feira, os rivais dos paulistas serão Atlético Nacional, da Colômbia, e o New York City, time da casa. Corinthians e Palmeiras não se enfrentam no torneio. Para o técnico Tiago Nunes, o confronto diante dos colombianos será um teste direto para a fase preliminar da Libertadores. O Corinthians estreia no dia 5 de fevereiro diante de um rival indefinido (o boliviano San José ou o paraguaio Guaraní).

"Até por ser um time sul-americano, o Atlético Nacional nos oportuniza entender um pouco das dificuldades que enfrentaremos na pré-Libertadores. É um jogo que tem, além da qualidade, muita velocidade, imposição física, que é uma característica do futebol sul-americano", completou.

O treinador revela também que pretende montar o time-base para a disputa do Campeonato Paulista. "O fato de estarmos juntos nesse período, na Flórida, e também termos a oportunidade de disputar dois jogos de alto nível, nos ajuda a prever e imaginar uma equipe-base para iniciar uma competição dura, que é o Paulista", avaliou.

Nos anos anteriores, o Corinthians aproveitou o torneio. Nas quatro participações, o time terminou duas temporadas como campeão brasileiro e levou duas edições do Campeonato Paulista. Em 2018, o então técnico Fabio Carille usou o torneio para efetivar o esquema 4-1-4-1. Em 2015, Tite revelou que encontrou o esquema tático ideal durante o torneio norte-americano.

O Palmeiras participa do torneio pela primeira vez. Nos planos de Vanderlei Luxemburgo, a competição servirá para que todos os jogadores tenham chance de entrar em campo - o regulamento permite que todos sejam substituídos no intervalo. Por isso, o treinador vai utilizar mais de 22 jogadores em cada partida. O novo treinador também pretender estreitar o relacionamento com os atletas no início de sua quinta passagem.

"A pré-temporada tem como um dos fatores importantes você estar com todos juntos, não só jogadores, mas comissão técnica também, o conhecimento de cada um…Quando se troca um técnico, para passar todo o conhecimento, ter o relacionamento, é importante estar junto o tempo todo", afirmou o treinador.

A participação em um torneio fora do País divide opiniões. O problema é o conflito de datas do calendário. Os dois times retornam ao Brasil na semana de estreia no Campeonato Paulista, marcada para o dia 24 de janeiro. Para otimizar o tempo de preparação física, a comissão técnica pretende realizar treinamentos inclusive nos dias de jogos na Flórida.

O volante Felipe Melo, por exemplo, tentou se esquivar ao ser questionado se valeria a pena fazer a pré-temporada nos Estados Unidos. Na primeira pergunta da coletiva de quarta-feira, ele disse que não comentaria o assunto. Questionado novamente, ele fez uma breve avaliação. "Se o chefe (Vanderlei Luxemburgo) falou que vai ser pré-temporada, vamos correr e usar a competição como pré-temporada. O importante é chegar no Paulista focado para ganhar a competição, já que tem tantos anos que a gente não ganha", afirmou o defensor.

O confronto entre Palmeiras e Corinthians não será realizado pela primeira vez fora do País. O campeão da Florida Cup de 2020 será definido por pontos corridos. Vitórias garantem três pontos aos clubes de forma direta, enquanto o empate vale um ponto, mas com decisão direta nos pênaltis, o que dará mais um ponto extra ao vencedor. O primeiro critério de desempate, caso seja necessário, será o número de vitórias, seguido de saldo de gols, confronto direto, gols marcados e fair play, seguindo as regras da Fifa.

Internacionalização das marcas

Após seis edições, os organizadores afirmam que a Florida Cup ampliou sua vocação de torneio internacional de futebol no início da temporada para se tornar um evento de esporte, música e entretenimento. No dia 18, que está sendo chamado de "dia das finais", haverá um show de Ivete Sangalo, convidada pelo segundo ano consecutivo, no intervalo de uma hora entre as duas partidas.

Agências de viagens vendem pacotes com tíquetes de jogos, hospedagem no Universal Orlando Resort, acessos exclusivos para o show e ainda participação na corrida de 5 km e entrada para os parques temáticos da Universal. Os valores oscilam entre R$ 6 mil e R$ 8 mil.

Esse conjunto de atrações foi o grande atrativo para que o empresário Ricardo Pompeu decidisse passar parte das férias se dividindo entre futebol e entretenimento. "Estou viajando junto com a família. Assim, temos de pensar em atividades que sejam interessantes para todos. Com a Florida Cup, nós conseguimos agradar a todos", afirma o palmeirense.

"O evento segue uma crescente constante nos últimos anos, tanto com relação ao público quanto ao impacto digital. A maior conquista foi a transformação da plataforma em um festival de esporte e música. Hoje, vamos muito além de um torneio de pré-temporada", explica Ricardo Villar, CEO da Florida Cup. De acordo com o empresário, são 30 milhões de interações digitais e impacto em 101 milhões de usuários.

Os clubes podem ampliar a visibilidade de suas marcas no cenário internacional. Além disso, eles têm as despesas de pré-temporada totalmente pagas. O Palmeiras e a Puma, sua fornecedora de material esportivo, vão promover eventos em conjunto. Os torcedores vão poder participar de um encontro com jogadores no Florida Mall, no dia 13, além de encontrar o Espaço Palmeiras nos parques da Universal Studios e Exploria Stadium, com a nova linha de produtos esportivos e exposição dos troféus conquistados pelo clube.

Ainda de acordo com os organizadores, o impacto econômico na cidade de Orlando é da ordem de R$ 93 milhões, incluindo pacotes de viagem (diárias de hotéis) e ingressos. O público do torneio cresce 15% ao ano. O torneio se responsabiliza pelos custos de toda a pré-temporada durante a estadia nos Estados Unidos e oferece oportunidades comerciais internacionais para as marcas.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade