0

Academia de Letras critica punição a Cavani por racismo

Entidade considera como grave injustiça que atacante seja suspenso por três jogos por usar o termo 'negrito'

2 jan 2021
16h57
atualizado às 17h12
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A Academia Uruguaia de Letras se manifestou contra a suspensão de três jogos dada ao atacante Edinson Cavani por agradecer um elogio de um seguidor nas redes sociais dizendo 'gracias, negrito'. A entidade definiu a punição como "ignorante" e "grave injustiça".

"As referências a qualidades físicas, morais ou pessoais de outras pessoas são usadas em todas as línguas do mundo para a criação de vocativos, ou seja, expressões para tratar os outros. Em alguns contextos, têm um teor negativo, e muitas vezes os mesmos termos podem ser considerados afetuosos ou amigáveis", escreveu a Academia, em comunicado oficial.

Edinson Cavani antes de partida do Manchester United
29/11/2020
Pool via REUTERS/Adam Davy
Edinson Cavani antes de partida do Manchester United 29/11/2020 Pool via REUTERS/Adam Davy
Foto: Reuters

"Na variedade do espanhol no Uruguai, por exemplo, entre casais e amigos, entre pais e filhos, você pode ouvir e ler formas como 'gordis, gordito, negri, negrito / a'. Na verdade, a pessoa a quem se trata com esses vocativos não precisa ser obesa ou morena para recebê-los", continuou o órgão.

No caso, Cavani foi elogiado por um seguidor nas redes sociais e republicou a mensagem na ferramenta stories de seu instagram, acrescentando o 'gracias negrito'. Poucos minutos depois, apagou a postagem e pediu desculpas.

"O uso do vocativo 'negrito' por Cavani para se dirigir a 'pablofer2222', fã do jogador de futebol, tem esse tipo de teor afetuoso: pelo contexto em que foi escrito, a pessoa a quem foi dirigida e a variedade do espanhol utilizada, o único valor que pode ter o termo 'negrito' - e em particular pelo seu diminutivo - é o afetivo", completou a Academia Uruguaia de Letras.

Cavani também recebeu o apoio de Lugano, que foi seu companheiro na seleção uruguaia. "Uma resolução orgulhosa, ridícula e injusta tirada do pedestal da arrogância, no qual, sem dúvida, a nossa cultura foi invadida. Minha solidariedade com Edi. Eles sancionaram todos nós", disse o ex-jogador.

O caso foi julgado pela Football Association (FA), entidade que organiza o futebol inglês, e Cavani terá que ficar fora de três jogos - já cumpriu um, contra o Aston Villa, e também não poderá enfrentar o Manchester City pela Copa do Liga Inglesa e o Watford pela Copa da Inglaterra. O atacante ainda recebeu uma multa de 100 mil libras (R$ 710 mil).

Na sexta, Cavani se manifestou em post no instagram, mais uma vez pedindo desculpas e dizendo aceitar a punição por não conhecer bem os costumes idiomáticos da língua inglesa.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade